29.5.06

BURBERRY


O xadrez mais famoso do mundo aparece em biquínis, sungas, maiôs, bonés, cintos, gravatas, bolsas e outros acessórios, além é claro dos tradicionais casacos, conhecidos como trench coats. Para quem não conhece a aristocrática inglesa BURBERRY, uma boa introdução, é saber que a marca é responsável pelo desenvolvimento da gabardine. É a marca que saiu da chuva para os desfiles de moda no segmento de luxo e conquistou consumidores elegantes em todas as partes do mundo. 

A história 
Tudo começou em 1856 quando o jovem Thomas Burberry, então com apenas 21 anos, abriu uma pequena e modesta loja em Basingstoke, Hampshire, na Inglaterra, especializada em roupas para atividades esportivas, como a caça e a pesca. O jovem aprendiz de tecelão se preocupava muito com a qualidade de suas peças, que ganharam a confiança dos ingleses e transformaram sua loja em um grande empório em menos de 20 anos, que atendia principalmente a rica e sofisticada clientela da região. A inovação veio com a criação da gabardine em 1879, um tecido impermeável, respirável e extremamente resistente para dias de chuva, que virou matéria-prima de capas de chuva e da indumentária para facilitar a vida de exploradores e esportistas. O tecido impermeável, macio e chique caiu perfeitamente bem sobre a chuvosa Inglaterra e ainda como opção para o lazer no campo e no mar, tão comum entre a aristocracia da época. A invenção seria patenteada em 1888. Pouco depois, em 1891, com o nome de Thomas Burberry & Sons a empresa inaugurou uma nova loja na região de West End em Londres. Devido á praticidade da gabardine, em 1895, Thomas foi “convocado” pelo exército britânico para desenvolver um casaco para os oficiais, que seria o antecessor do trench coat (em inglês, casaco de trincheira). Era o surgimento da famosa capa de chuva, adaptada ao estilo militar. Em 1909, a marca inaugurou sua primeira loja em Paris, ingressando assim na “capital da moda”.


Em 1911, equipados com barracas e casacos desenvolvidos pela BURBERRY, o explorador norueguês Roald Amundsen e sua equipe se tornaram os primeiros a chegar ao Polo Sul. No ano seguinte foi patenteado o casaco Tielocken, antecessor do trench coat, que possuía fechamento simples com cinto e fivela, e apenas um botão na gola. Em 1914, a empresa foi comissionada pelo escritório de guerra para adaptar o antigo casaco dos oficiais para combate. Adicionou as dragonas para exibir as patentes dos oficiais, a aba sobreposta no peito oferecia maior proteção, enquanto o protetor contra chuva na parte superior das costas garantia que a água não entrasse em contato com o corpo, e ali nascia o verdadeiro trench coat, um casaco extremamente quente e resistente, que durante a Primeira Guerra Mundial foi vestido por meio milhão de soldados britânicos, fato que ajudou a aumentar sua popularidade. Até o final da década, a BURBERRY viu seus tradicionais casacos equiparem exploradores, pilotos de aviões e esquiadores. Em 1919, o rei George V se tornou fã da marca e contribui para sua popularização.


Nos anos de 1920, o tecido xadrez (bege, preto, vermelho e branco), introduzido em 1924 e logo depois patenteado, que é marca registrada da BURBERRY, passou a ser utilizado no forro desses casacos. O trench coat, forrado com tecido xadrez, ganhou as ruas, se atrelando cada vez mais a um conceito de elegância, que vestiu de políticos a estrelas de cinema, como quando foi utilizado pelos atores Humphrey Bogart e Ingrid Bergman no mítico filme Casablanca, ou ainda vestiu a dupla Audrey Hepburn e George Peppard na inesquecível cena final de beijo sob a chuva em Bonequinha de Luxo. Em razão da importância da marca no mercado britânico (e mundial), em 1955, a BURBERRY foi condecorada com uma Royal Warrant (uma menção honrosa dada a comerciantes e marcas) pela majestade Rainha Elisabeth II. Também neste ano, a marca foi comprada pelo grupo Great Universal Stores (GUS). Já em 1989, a marca se tornou fornecedora oficial do Príncipe Charles, futuro rei da Inglaterra.


A marca começou sua internacionalização na década de 1970, quando uma loja âncora foi inaugurada em plena Manhattan. Mas nem tudo foi glamour na história da tradicional marca britânica. Na segunda metade do século XX, a marca em si ficou perdida no acelerado mundinho fashion e relacionada a um público acima de 50 anos. A clientela da marca BURBERRY dividia-se entre velhinhas de bochechas rosadas e turistas japoneses de passagem pelo Reino Unido. As lojas mais sofisticadas nem sequer tinham estoque de seus produtos e a empresa parecia condenada a uma caretice eterna. Mas, a reviravolta começou em 1997 quando a empresa GUS (que detinha a maior parte das ações da empresa) convidou a americana Rose Marie Bravo, então presidente da tradicional loja de departamento Saks Fifth Avenue, para ser a principal executiva da marca. A partir dali, se iniciou o processo de criação de uma nova imagem: uma BURBERRY totalmente fashion. Uma de suas principais providências foi recrutar Roberto Menichetti, ex-estilista da Jil Sander para comandar a criação das novas coleções da marca britânica.


Em 1998, ele desenvolveu uma linha de vestuário chamada BURBERRY PRORSUM (mesmo nome que aparece na bandeira do símbolo da marca), que possuía produtos com valor um pouco mais caro, misturando estampas e cores, sobrepondo peças, embaralhando o clássico com o novo. Outra providência da executiva foi contratar o fotógrafo Mario Testino para cuidar das campanhas publicitárias e recrutar Kate Moss, a modelo que tem uma das imagens mais valiosas do mundo da moda, para ser a garota-propaganda da marca, que causou furor ao aparecer de biquíni em uma das campanhas. Resultado: sem perder os tradicionais compradores, a faixa etária do público-alvo mudou de 50 para 30 anos. Ou melhor, se expandiu: agrada de avós aos netos e também à quarta geração da família, já que a marca começou a desenvolver sua linha infantil e baby. Mas o time só ficou completo em 2000 com a chegada do estilista britânico Christopher Bailey, vindo do Grupo Gucci. Foi neste mesmo ano que a marca resolveu implantar a estratégia de inaugurar novas e sofisticadas lojas em várias cidades do mundo, como por exemplo, Los Angeles, Düsseldorf, Berlim, Barcelona e Nova York.


Nas próximas coleções, o estilista introduziu visuais mais casuais, adicionando um fulgor boêmio à herança de design da famosa marca britânica. Contrabalançar a tradição da marca com uma estética moderna foi essencial para a consolidação da BURBERRY no segmento de luxo. É verdade que as roupas dos desfiles vendem pouco, mas servem de inspiração para as linhas efetivamente rentáveis, como por exemplo, a BURBERRY LONDON, coleção mais extensa e popular, a alfaiataria contemporânea da BURBERRY BLACK LABEL até a casual BURBERRY BRIT, que não existiam antes de Rose Marie assumir a presidência da empresa, assim como bolsas, óculos de sol, sapatos, lingeries sensuais, linha infantil e até cobertores para cachorros. Além disso, linha de perfumes, jeans, camisaria e básicos produzem visuais irreverentes.


O grande mérito da dupla Rose Marie e Bailey foi pegar um produto empoeirado, mas com pedigree, sacudi-lo e reinventá-lo em uma linguagem jovem e moderna – sem perder um pingo sequer da elegância britânica. O resultado: o xadrez mais famoso do mundo agora aparece conectado a figuras como Kate Moss, Madonna, Liam Galagher, vocalista do Oasis, além da atriz Emma Watson, que foi modelo da BURBERRY por um bom tempo, e devido ao seu sucesso nos filmes de Harry Potter influenciou os mais jovens a se interessar pela marca britânica. Em 2005 a marca britânica iniciou vendas através de seu comércio eletrônico nos Estados Unidos. No ano seguinte disponibilizou as vendas online para o Reino Unido e em 2007 para toda a Europa. Recentemente a marca voltou a estar em evidência: a bolsa Knight Bag, em couro preto, salpicada de metal na superfície e fecho lateral com chave já foi vista nos braços de Cameron Diaz, Jessica Alba e da modelo britânica Agyness Deyn, se transformando em objeto de desejo das ricas e famosas. Foi assim que a centenária grife inglesa transformou a capa de chuva em ícone fashion, conquistou o mundo com sua inconfundível estampa xadrez e assegurou seu lugar entre as marcas mais valiosas do mundo.


A linha do tempo 
1910 
Lançamento da linha feminina de roupas. 
1960 
Lançamento do casaco masculino em algodão. 
1967 
Lançamento de uma linha de guarda-chuvas com a tradicional estampa xadrez. 
1981 
Lançamento da linha de produtos de banheiro. 
1988 
Lançamento da coleção THOMAS BURBERRY, com peças que custavam cerca de 30% mais barato que as linhas normais da marca. 
1991 
Lançamento de seus primeiros perfumes. 
1997 
Lançamento do perfume feminino BURBERRY WEEKEND
2000 
Lançamento do perfume BURBERRY TOUCH
2001 
Apresentação de uma releitura do tradicional trench coat, em versão rosa, batizado de “Candy Check”
2002 
Inauguração da primeira loja na Itália, em Milão. 
2004 
Lançamento de uma linha de roupas íntimas masculinas e da confecção dos tradicionais casacos (trench coat) sob medida. 
2005 
Lançamento do perfume BURBERRY BRIT for MEN
Lançamento da linha de roupas e acessórios para golfe. 
Lançamento da BURBERRY DOG COLLECTION, uma pequena e sofisticada linha de roupas e acessórios para cachorros. 
2006 
Lançamento da fragrância BURBERRY LONDON WOMAN, inspirada na cidade de Londres, presente até na composição do perfume, com as rosas inglesas. 
Lançamento da BURBERRY ICONS, acessórios desenhados pelo diretor criativo Christopher Bailey em comemoração aos 150 anos da marca. 
2007 
Lançamento da BURBERRY ENFANT, primeira coleção infantil da marca inglesa. 
Lançamento da sua primeira coleção de óculos. 
2008 
Lançamento do perfume masculino BURBERRY THE BEAT. O perfume gerou US$ 30 milhões durante o seu primeiro ano de vendas somente nos Estados Unidos. 
Lançamento da BURBERRY JOAILLERIE, nova coleção de bijuterias sofisticadas da marca. 
2009 
Lançamento do BURBERRY BRIT, uma linha de jeans e roupas casuais direcionadas para um público jovem, que inaugurou suas primeiras lojas próprias em Nova York. 
2010 
Lançamento da BURBERRY BEAUTY, nova linha de maquiagem da marca composta por 96 produtos entre bases, pós, sombras e batons feitos para serem usados em qualquer lugar, a qualquer momento. As modernas embalagens seguem a funcionalidade do casaco ícone da grife e têm fechos magnéticos. 
Lançamento do perfume BURBERRY SPORT, nas versões feminina e masculina. 
2012 
Lançamento da bolsa ORCHARD, cujo design octogonal e seus grandes zíperes e ferragens douradas, foi inspirado em malas antigas e nas bucólicas paisagens dos campos ingleses. O modelo, disponível em dois tamanhos e três tipos de revestimentos (camurça, nubuck e napa), rapidamente se tornou queridinho de algumas poderosas da moda, como Sarah Jessica Parker, e um verdadeiro sucesso de vendas. 
2013 
Lançamento do perfume masculino BRIT RHYTHM. A versão feminina seria lançada em janeiro de 2014. Para estrelar a campanha de lançamento a marca escolheu a modelo Suki Waterhouse.


O ícone 
A BURBERRY não seria a mesma se não fosse seus tradicionais casacos em gabardine, a mais pura representação da elegância britânica. E no coração do tradicional trench coat da BURBERRY está a gabardine, tecido inventado em 1879 por Thomas Burberry. O tecido impermeável revolucionou os casacos. Recebeu tripla proteção contra água, enquanto os espaços abertos na costura permitiam ventilação. Oferecendo ampla proteção contra climas extremos, os casacos da marca foram usados pelos primeiros exploradores dos polos e pelos pioneiros da aviação. Depois, conquistaram os militares. A partir da década de 1920 ganharam as ruas e, posteriormente conquistaram o mundo da moda. Hoje em dia, mais de 100 processos individuais são necessários para confeccionar um trench coat da marca inglesa. O mais elaborado deles é a costura á mão do colarinho, exclusiva da BURBERRY. Levando até um ano para aprender a técnica, o artesão deve fazer mais de 180 pequenas costuras no colarinho para criar uma curva fluida que se posiciona perfeitamente no contorno da gola. Protegendo o casaco dos elementos, o cinto é uma das marcas icônicas da peça e completa sua silhueta exclusiva. O cinto possui quatro linhas de costura para mantê-lo firme e estruturado, enquanto as argolas em D de metal fazem referência a sua tradição e foram originalmente utilizadas para carregar equipamentos militares, como por exemplo, granadas.


Cada casaco é forrado com o tradicional xadrez da marca nas clássicas cores camel, marfim, vermelho e preto. Cuidadosamente confeccionado e cortado, o forro é costurado de forma a assegurar que o xadrez esteja simétrico. Cada linha do design permanece contínua, demonstrando a excelência da alfaiataria da BURBERRY no interior e exterior da peça. O tradicional casaco da grife inglesa está disponível em três cortes nas três cores clássicas: mel, areia e preto. Antigamente, a BURBERRY tinha somente um punhado de modelos do tradicional casaco: quase todos eram beges com forro xadrez. Nos dias de hoje, a marca oferece 300 itens distintos — de capas e jaquetas curtinhas ao clássico impermeável em uma série de cores e estilos vibrantes, com detalhes como gola de vison, dragonas de couro de jacaré e mangas de couro com tachas.


A evolução visual 
O logotipo tradicional da BURBERRY, que contém um cavaleiro (conhecido como Equestrian Knight Device) foi introduzido em 1901, e apareceu pela primeira vez, acompanhado da palavra em latim “prorsum”, que significa “Adiante” ou “para frente”, em seu estandarte. Nesta época o nome da marca era Burberry’s.


A apóstrofe foi retirada do nome oficialmente somente em 1999. Depois perdeu a letra S. Atualmente, o nome “Burberry” é grafado em letras maiúsculas, acompanhado ou não da imagem do cavaleiro, nas cores dourado ou preto. Além disso, abaixo do nome da marca é exibida a frase “Established 1856”.


Dados corporativos 
● Origem: Inglaterra 
● Fundação: 1856 
● Fundador: Thomas Burberry 
● Sede mundial: Londres, Inglaterra 
● Proprietário da marca: Burberry Group plc 
● Capital aberto: Sim 
● Chairman: John Peace 
● CEO: Christopher Bailey 
● Diretor criativo: Christopher Bailey 
● Faturamento: £2.33 bilhões (2013/2014) 
● Lucro: £322.5 milhões (2013/2014) 
● Valor de mercado: £6.5 bilhões (junho/2014) 
● Valor da marca: US$ 5.189 bilhões (2013) 
● Lojas: 567 
● Presença global: 85 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 9.698 
● Segmento: Moda de luxo 
● Principais produtos: Roupas, sapatos, bolsas, acessórios e perfumes 
● Concorrentes diretos: Chanel, Gucci, Prada, Dior, Louis Vuitton e Hermès 
● Ícones: O xadrez e o trench coat 
● Website: www.burberry.com 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca BURBERRY está avaliada em US$ 5.189 bilhões, ocupando a posição de número 77 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. 

A marca no mundo 
A BURBERRY vende seus tradicionais produtos em 215 lojas próprias e 227 unidades instaladas dentro das mais sofisticadas lojas de departamento do mundo, além de 70 unidades franqueadas. A marca conta ainda com 55 outlets e lojas virtual em 28 países. No Brasil, a marca tem oito lojas localizadas em São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife e Brasília. A linha de acessórios representa aproximadamente 36% do faturamento da marca, que está presente em mais de 85 países. A Ásia responde por 39% do faturamento anual, seguida por Europa (36%) e Américas (25%). 

Você sabia? 
A transformação da BURBERRY em um dos maiores fenômenos da indústria da moda é apontada como um bem-sucedido e famoso case de marketing. E virou até verbo. “Fazer uma Burberry” significa hoje tirar a poeira de uma marca tradicional, modernizar as coleções e, claro, vender horrores. 
O sucesso da marca britânica entre os jovens é tamanho que sua página no Facebook conquistou mais de 17 milhões de fãs e seguidores. Uma conquista e tanto para a até então recatada e clássica BURBERRY. E a marca utiliza com maestria a tecnologia a seu favor. A partir de 2011 os desfiles são transmitidos ao vivo pelo canal da empresa no YouTube. Além disso, as atendentes de 25 lojas da grife em 16 países foram equipadas com iPads para que os clientes pudessem adquirir as peças da coleção antes mesmo de as modelos deixarem a passarela. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Exame e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 20/6/2014

5 comentários:

Anônimo disse...

adorei o blog...continuem a postar...

Anônimo disse...

ADOREI AS INFORMAÇÕES.ADORO XADREZ,ADORO ESSE PERFUME,ENFIM,TUDO MUITO BOM.
A MINHA DUVIDA TAMBÉM QUANTO AO PAIS DE ORIGEM É SE NÃO É INGLATERRA.
DEVERIA TER MAIS REPRESENTANTES NO BRASIL.

Beatriz disse...

Adorei a História da empresa e sua trajetória.
Abraços, Beatriz Lasmar

Anônimo disse...

Adorei! Só faltou falar que o perfume The Beat é feminino também, sua versão mais nova é feminino. Meu perfume favorito!

maria de lourdes turner sampaio duque disse...

Sou descendente de inglês e adorei a marca apesar de estar no Brasil. Posso dar minha opinião sincera? vai lá: não usem nada de produto derivado de vida animal, pois é pecado e não dá saúde.