10.5.06

RAY-BAN


Desde 1937 uma coisa não sai de moda: os óculos RAY-BAN. Eles podem ser vistos nos rostos mais famosos e descolados do mundo. Seu formato oval e simples transforma a fisionomia de uma pessoa normal dando-lhe um ar moderno e jovial. Os óculos se tornaram um clássico da moda e fizeram história em cada geração que percorreu, transformando-se em sinônimo de independência, audácia e liberdade. Desde a sua criação até os dias de hoje, as releituras dos seus modelos agradaram a todos os estilos, agregando características como masculinidade, feminilidade, modernidade e elegância. De Penelope Cruz à Tom Cruise e Alyssa Milano, os óculos caíram no gosto das celebridades. 

A história 
Sua origem data de meados da década de 1920 quando a indústria de aviação crescia rapidamente e os países ricos investiam maciçamente no desenvolvimento de aviões para fins militares. As aeronaves eram cada vez mais modernas para a época, capazes de voar sempre mais alto, mas os pilotos sofriam com a intensa claridade acima das nuvens, que ofuscava os olhos e causava perigosas distorções visuais. E um homem foi de suma importância para o surgimento da marca: John A. MacCready, um tenente e piloto de testes da Força Aérea dos Estados Unidos. Ele costumava fazer viagens de balão e, certo dia, em uma de suas aventuras, acabou ficando muito tempo exposto ao sol, o que ocasionou irritação e danos em sua retina. Foi então que ele procurou a Bausch & Lomb, tradicional empresa ótica fundada em 1853 por John Jacob Bausch e Henry Lomb, e fez uma encomenda: desenvolver uma proteção ocular para os pilotos de caça, que enfrentavam sérios problemas de visibilidade em virtude dos intensos raios solares, que garantisse um campo claro de visão, mas também que lhes proporcionassem uma boa aparência para manter o status de poder dos militares da época. A empresa resolveu encarar esse desafio, e depois de muitos anos de intensas pesquisas, apresentou, inspirados nas primeiras máscaras criadas para pilotos de avião no início do século anterior, os óculos Anti-Glare Aviator, munidos de lentes verdes de cristal mineral especial com armações de metal, banhado com ouro, que pesavam apenas 150 gramas, e que refletiam e bloqueavam um alto percentual da luz visível e também dos raios ultravioleta e infravermelho.


Pouco depois, após registrar patente no dia 7 de maio de 1937, a Bausch & Lomb percebeu uma ótima oportunidade de mercado, criar modelos de óculos específicos para a aviação, e lançou o RAY-BAN AVIATOR. O nome da marca foi baseado na mistura do termo em inglês raio (Ray) e as três primeiras letras do verbo banir (Ban), pois os óculos reduziam ou eliminavam a incidência de raios UV nos olhos. O sucesso foi imediato, e logo os pilotos da Força Aérea Americana passaram a usar o modelo. Um fato contribuiu para o sucesso da marca: durante a Segunda Guerra Mundial, um dos generais mais importantes dos Estados Unidos (Douglas MacArthur) foi fotografado desembarcando na praia de Palo, na ilha de Leyte, Filipinas, usando óculos Aviator. Daí em diante os óculos ficaram famosos não só entre a aviação, mas também entre policiais, caçadores, pescadores e consumidores em geral. E o público-alvo não foi problema: homens com estilo esportivo, amantes da vida ao ar livre e pilotos de automóveis, que logo se identificaram com a imagem dos óculos que remetiam a força e coragem. Simples, os óculos eram confortáveis para os olhos e rosto, oferecendo uma visão ampla. Inicialmente, combinavam perfeitamente com o jeito viril dos homens da época, mas, com o passar do tempo, assumiu versões diferentes, agradando aos variados estilos de cada geração. E lançando modelos femininos, tão bem-sucedidos quanto os esportivos masculinos.


Nos anos de 1940 surgiram os óculos com lentes degrade espelhadas. Na década de 1950 o produto foi posicionado junto ao público não somente como um fator de proteção para os olhos, mas também como símbolo de estilo e bom gosto, tornando-se um acessório fashion indispensável. Os óculos ganharam formas grandes, únicas e coloridas, além de muitas linhas e coleções diferentes, como em 1951, quando a pedido específico da Marinha dos Estados Unidos a marca desenvolveu as lentes cinza N-15. O sucesso da marca se tornou ainda maior quando, em 1952, o designer Raymond Stegeman criou um novo modelo chamado Wayfarer. Construído com armação plástica e com um desenho inspirado em automóveis muito famosos da época que tinham a traseira “rabo-de-peixe”. O objetivo inicial era vendê-los também para os pilotos, mas, os modelos fizeram a cabeça do público feminino, especialmente depois que foi usado pela atriz por Audrey Hepburn, em 1961, no clássico filme “A Bonequinha de Luxo”. Ainda no final desta década, em 1958, pela primeira vez, o catálogo da marca incluiu duas páginas de armações de plástico destinadas às mulheres, oferecendo assim uma maior variedade de produtos. Além disso, novos temas, cores e até mesmo materiais, como o strass, foram usados para criar óculos cada vez mais modernos que acompanhavam a moda do momento.


Na década seguinte seu estilo se tornou muito popular junto ao público jovem e entre grandes estrelas do rock, como Lou Reed e Bob Dylan, e estrelas do cinema. Nesta época era praticamente fotografar uma celebridade ou artista sem que estes estivessem usando um RAY-BAN. Nesta década a marca tornou-se líder mundial por focar-se na qualidade e durabilidade do produto, por apresentar novas coleções e também, porque dispunha de uma variedade de produtos superior aos seus concorrentes. Também nesta década, a RAY-BAN apresentou os primeiros óculos com lentes resistentes ao impacto e foi a primeira marca de ótica a fabricar estojos para proteger os óculos, se diferenciando dos concorrentes e recebendo admiração dos consumidores. Em 1969 a RAY-BAN já oferecia óculos com mais de 50 modelos e linhas diferentes.


Nos anos de 1970, como muitas outras marcas meio esquecidas, voltou às vitrines das óticas com força revigorada. Milhares de pessoas aderiram à febre das “releituras” e loucas combinações – era o tempo em que tudo passou a ser permitido, após a queda das grandes grifes europeias. Outra novidade foi o início da produção de óculos de receituário. Além disso, foram introduzidos os óculos concebidos para alpinistas, que precisavam de boa proteção contra os raios solares e o vento. Estes óculos dispunham de lentes espelhadas, destinadas a proteger os olhos do brilho refletido pela neve e apresentavam também proteções laterais de couro, que proporcionavam uma maior proteção contra os raios solares. A década de 1980 e 1990 foi marcada pela presença maciça de RAY-BAN em Hollywood, quando a grife apareceu em diversos filmes, como, por exemplo, The Blues Brothers (Irmãos Cara de Pau), Risky Business (onde Tom Cruise utilizava o modelo Wayfarer), Top Gun (Ases Indomáveis), Batman (onde Jack Nicholson, interpretando Coringa, usou um modelo Wayfarer) e, mais recentemente, Men in Black (Os homens de Preto). Esses filmes foram extremamente importantes para a marca RAY-BAN: Tom Cruise ao utilizar o modelo Aviator em Top Gun, de 1986, fez com que as vendas do modelo aumentassem 40% nos sete meses seguintes.


Em 1999, a RAY-BAN foi vendida para a empresa italiana Luxottica por US$ 640 milhões. A marca ingressou no novo século com vários lançamentos como: óculos com armações especialmente feitas para lentes de grau, introduzidos em 2003; e a coleção RAY-BAN JUNIOR, para crianças de 8 a 12 anos, introduzida no mercado em 2004 com o slogan “My first Ray-Ban” (O meu primeiro Ray-Ban). A marca também esteve ligada intimamente ao esporte, especialmente ao automobilismo, onde por muitos anos foi patrocinadora da equipe Honda de Fórmula 1. Uma das novidades mais recentes da marca são as lentes polarizadas, que anulam todos os reflexos horizontais e proporcionam três níveis de proteção: filtro de proteção que resguarda 100% das radiações UV e elimina grande parte da luz azul nociva; tratamento anti-reflexo, que filtra o reflexo indireto em relação às lentes; e tratamento de proteção hidrófobo, uma película especial que cobre externamente toda a lente e a protege da água e das substâncias oleosas.


Além disso, a marca inovou ao introduzir uma linha de óculos que vinha com canetas especiais para colorir a armação branca, denominada Colorize Kit; e, em 2010, juntamente com uma edição limitada do clássico modelo Aviator (cuja haste tinha gravado em seu interior “Limited Edition” e vendido em um estojo vermelho de couro), a marca lançou seis emocionantes novas recriações de seu eterno estilo: Titanium (em titânio inteiramente polido), Craft (barra superior e ponteiras das hastes revestidas em couro macio costurado à mão), Metal Glide (cores brilhantes e lentes tom sobre tom), Ultra Gold (armação toda banhada a ouro 22K e novas lentes P3 que refletem ainda mais a qualidade e a tecnologia do clássico modelo), Road Spirit (nova e criativa aparência com detalhes que lhe conferem um visual mais jovem) e Tech (armação em fibra de carbono).


Os modelos 
Durante toda sua história a marca RAY-BAN lançou modelos que se tornaram verdadeiros ícones e sucessos de mercado, além de ditarem tendências no mundo da moda. Entre eles, além dos clássicos AVIATOR e WAYFARER (com armações plásticas), estão: 
SHOOTER (1938): óculos com lentes amarelas e armações mais grossas e largas, para uso em condições de neblina ou nevoeiro. 
SMALL METAL: versão reduzida e colorida do tradicional Aviator. 
OUTDOORSMAN (1938): com armação de metal e muito semelhante ao modelo Shooter. Originalmente chamado de “Skeet Glass” foi especificamente projetado para grupos de usuários específicos, tais como entusiastas de caça, tiro e pesca. 
CARAVAN (1957): com armações de metal e lentes retangulares. 
SMART SET (1958): modelo que apresentava “asas” coloridas. 
GRADIENT SILVER MIRROR: com lentes espelhadas em degrade. 
SKI & SPORTS COLLECTION: coleção composta por dois modelos de óculos e lentes para prática de esportes na neve como esqui e montanhismo, introduzida na década de 1960. 
BALORAMA (1967): com um design mais esportivo e extremamente resistente. 
AMBERMATIC (1974): que possibilitava a troca de lentes para adequar-se as mais diferentes condições climáticas. 
NATURALS (1979): coleção feminina composta por sete modelos diferentes. 
WINGS: um modelo unissex definido como aerodinâmico e revolucionário, introduzido nos anos de 1980. 
CLUBMASTER (1986): com armações meia-lua, inspirado no modelo em acetato dos anos de 1950 e inicialmente disponível na estampa preta e de tartaruga. Recentemente a série foi relançada com seis novas opções de cores e estampas. 
STREET NEAT: modelo semelhante ao WINGS com cores mais vivas e brilhantes. 
DiamondHard Scratch-Protection: inovador sistema com uma película que recobre a lente tornando-a dez vezes mais resistente que as normais.


Campanhas que fizeram história 
Em 2006 a RAY-BAN lançou em mais de 20 países uma campanha publicitária intitulada “Never Hide” (em tradução livre “Nunca se esconda”), composta por fotografias em preto em branco de pessoas comuns em cenas cotidianas. O novo slogan propunha que as pessoas tivessem a coragem de serem elas mesmas e mostrassem sua personalidade, sem se esconderem. A campanha foi apresentada com grande impacto, por meio de uma ação inédita: rostos de seus consumidores foram colocados em telões no ponto mais central de Nova York, a badalada Times Square. Pessoas de todas as partes do mundo puderam enviar fotos usando óculos RAY-BAN por meio de seu site na internet, e após uma seleção, cada imagem era exibida por 15 segundos nos 12 telões eletrônicos posicionados na Times Square. Desde então, fotografias de todas as imagens selecionadas e projetadas estão disponíveis para download no endereço eletrônico da marca.


Os slogans 
2006: Never Hide. (algo como “nunca se esconda”) 
2005: Change your VIEW. (algo como “mude ou transforme a sua visão ou concepção”) 
2004: Empower your vision. (Dê poder à sua visão) 
2003: Me and my Ray-Ban. (Eu e meu Ray-Ban). 
Brasil: Não siga tendência, siga seu estilo.


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1937 
● Criador: Bausch & Lomb 
● Sede mundial: Milão, Itália 
● Proprietário da marca: Luxottica Group S.p.A. 
● Capital aberto: Não (subsidiária) 
● Chairman: Leonardo Del Vecchio 
● CEO: Andrea Guerra 
● Faturamento: US$ 1.5 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 130 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Produtos óticos 
● Principais produtos: Óculos para sol e armações de receituário 
● Concorrentes diretos: Police, Carrera, Vogue, Evoke e Chilli Beans (Brasil) 
● Ícones: O clássico modelo Aviator 
● Slogan: Never Hide. 
● Website: www.ray-ban.com 

A marca no mundo 
A marca, que pertence ao grupo italiano Luxottica, vende seus produtos masculinos, femininos e até mesmo para crianças, em mais de 130 países ao redor do mundo. Hoje a grife é marcada por modelos confortáveis, com caimento perfeito, e inspira, cada vez mais, as coleções modernas, que faturam mais de US$ 1.5 bilhões anualmente. 

Você sabia? 
Os óculos RAY-BAN são inspecionados cerca de 20 vezes durante o processo de fabricação, passando por inúmeros testes para certificação de que as lentes realmente absorvam aproximadamente 65% dos raios solares. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas); revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Exame e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Mundo Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 16/1/2014

13 comentários:

Tarso disse...

Realmente, Ray Ban Aviator, um clássico.
Um dos melhores óculos de sol do mundo.

Anônimo disse...

O Ray Ban fhotocromic for drive é imbatível.O melhor dos 8 que possuo,pena que que a lente de reposição é dificílima.Fernando Salomé.fsalomester@gmail.com.br.

orlando_auau disse...

Gosto muito tenho ,, não tem oque falar sobre Ray Ban e um chouuuuuuuuuuu

roserodrigues disse...

Uma das hastes do meu óculos quebrou. Como posso recuperá-la?

Maria Ignez disse...

Estou com o mesmo problema da roserodrigues...uma das hastes quebrou e não consigo encontrar uma autorizada para trocá-la...alguém sabe onde posso conseguir essa informação?

Célia Mara disse...

Meu óculos está descascando a lente, preciso encontrar uma autorizada....alguém por favor me forneca o site...tantofaz74@hotmail.com

Anônimo disse...

Depois que a marca passou para os Italianos, é LIXO fabricado na china.

vladimir disse...

quem puder me ajudar...
perdi meu ray ban, não sei o modelo dele, só posso dizer que ele tem as haste em metal dourado e é retangular, as lentes são verdes,gostaria de poder encontrar este modelo, quem souber por favor me avise.

Adriano disse...

Sou usuário de Ray-Ban há 20 anos, possuo dois Aviators.
Infelizmente as hastes do modelo dourado tende a oxidar, devido ao suor. Já vou no segundo par de hastes.
Agora quero comprar o modelo Caravan tamanho grande e não encontro em loja nenhuma aqui em recife.

oculos ray ban disse...

Realmente, alguns ray bans estão oxidando muito, tenho uma loja virtual: oculos ray ban e tenho ouvido muitas reclamações.
Infelizmente não é um problema da loja e sim de fábrica.

Anônimo disse...

Comprei um Ray Ban por um site promocional. Acredito que seja uma imitação muito boa. Como faço para saber sua veracidade?

Unknown disse...

Nos anos 70 possuia um Ray-Ban aviador de 18K, com suas lentes verde caracteristica. Hoje procuro adoidado por esse modelo e não o encontro.Me dêem uma dica.Outro, oculos Ray-Ban com lente descascando é impossível, vc pegou um "pirata". Acho que vc nunca irá encontrar uma autorizada que lhe dê atenção. No original Ray-Ban vc não sente o relevo da marca impresso na lente, no original é dentro da própria lente.

lucia disse...

Tenho dois bay ban boch lomb legitimo com lentes de cristal e armação folheada a ouro. Não vendo, não dou e não empresto! Na minha opinião os melhores do mundo. E agora não tem mais como comprar tudo xinguiling, uma pena!