6.6.06

LOJAS AMERICANAS


Quer comprar produtos de beleza, utensílios para o lar, brinquedos, eletrônicos, roupas, alimentos e livros? E tudo isso em lojas bem localizadas, modernas, organizadas e convenientes. Este é o modelo de sucesso das LOJAS AMERICANAS, uma das mais tradicionais redes de varejo do país e um ícone de compra na vida de milhões de brasileiros, onde é possível encontrar grandes marcas, preços baixos, todos os dias.

A história
A empresa foi idealizada por John Lee, Glen Matson, James Marshall e Batson Borger, todos eles ex-funcionários do complexo comercial norte-americano Woolworth, que pediram demissão para começar um negócio por conta própria, e partiram da cidade de Nova York em direção a Buenos Aires na Argentina com o objetivo de abrir uma loja baseada no conceito “Five and Ten Cents” (lojas que vendiam mercadorias à preços que variavam entre 5 e 10 centavos de dólar). A ideia era criar uma loja com preços baixos nos moldes das que já faziam sucesso nos Estados Unidos e na Europa no início do século. Durante a viagem de navio, os americanos, que levavam no bolso, em dólares, o equivalente a 10 mil contos de réis, conheceram os brasileiros Aquino Sales e Max Landesman que os convidaram para conhecer a bela cidade do Rio de Janeiro. Na visita a cidade maravilhosa os americanos perceberam que havia muitos funcionários públicos e militares com renda estável, porém com salários modestos, e a maioria das lojas não eram destinadas a esse público. As lojas existentes, em geral, vendiam mercadorias caras e especializadas. Foi assim que decidiram que o Rio de Janeiro era a cidade perfeita para lançar o sonhado empreendimento – uma loja de preços baixos para atender àquela população “esquecida” e que vendesse vários tipos de mercadorias em um só lugar.


Três meses depois, em 2 de maio de 1929, eles registraram a empresa LOJAS AMERICANAS S/A, que apesar do nome sempre foi brasileira. Assim, ainda este ano, inauguraram a primeira unidade das LOJAS AMERICANAS, em Niterói, com o slogan “Nada além de 2 mil réis”. A palavra “Loja”, no nome da empresa, foi uma novidade que designava um novo estilo de vendas, diferente dos estabelecimentos da época, denominados “Casa”. Durante a primeira hora de funcionamento, nenhum cliente apareceu. O fracasso parecia eminente. No entanto, uma garotinha, após passar minutos olhando através da vitrine, entrou e comprou uma boneca. Enfim a LOJAS AMERICANAS conquistava, assim, seu primeiro cliente, dos muitos que viriam depois.


A primeira loja adotou uma estratégia interessante para atrair mais consumidores: empregou várias mulheres, uma atitude pioneira para atrair as donas de casa. No final do primeiro ano já eram quatro lojas: três no Rio de Janeiro e uma em São Paulo. Já em 1940, para captar dinheiro para a inauguração de novas unidades, a empresa promoveu a abertura de seu capital na Bolsa de Valores e se tornou uma sociedade anônima. Em 1982, os sócios do Banco Garantia entraram na composição acionária da empresa como controladores. No ano de 1998 a rede decidiu novamente focar em seu principal negócio: lojas de descontos. No final do ano seguinte a empresa iniciou a venda de mercadorias através da Internet criando a AMERICANAS.COM. Era o começo de outro modelo de sucesso. Afinal, o comércio eletrônico das LOJAS AMERICANAS foi o primeiro grande portal a oferecer produtos pela Internet no país. A proposta inovadora, à época ainda embrionária também nos Estados Unidos e na Europa, foi recebida com desconfiança por boa parte dos consumidores brasileiros, acostumados ao modelo tradicional de comércio, cara a cara com as vitrines. Não demorou muito para o preconceito começar a perder força e para as empresas se consolidarem.


O ano de 2003 teve como principal característica à aceleração do programa de expansão. Com o objetivo de aumentar ainda mais a rede de lojas foram inauguradas 13 unidades convencionais, fortalecendo assim a presença da empresa em mercados importantes das regiões sudeste e sul do país. O conjunto de inaugurações contemplou também a inauguração, em Copacabana, das três primeiras lojas AMERICANAS EXPRESS, concebidas segundo o “conceito de vizinhança”. Eram lojas compactas, com sortimento selecionado de produtos, mas com os mesmos padrões de qualidade e preço que diferenciam a atuação da rede. No ano seguinte, dando continuidade a esse processo foram inauguradas 35 lojas e a conclusão do novo Centro de Distribuição em Barueri, na grande São Paulo, visando suportar numa primeira fase, o crescimento orgânico da empresa, tanto das lojas físicas como de seu braço virtual. O ano de 2005 foi um ano de importantes realizações, como por exemplo, a joint venture firmada com o Banco Itaú, que resultou no surgimento da Financeira Americanas Itaú (FAI), ou Americanas Taií. Ao final do ano de 2011, a FAI já havia emitido aproximadamente 1.7 milhões de cartões.


Em janeiro de 2007 a LOJAS AMERICANAS adquiriu a operação brasileira da rede de vídeo locadoras BLOCKBUSTER, composta por 127 lojas (equivalentes a 32 mil m²) pelo valor de R$ 184.6 milhões e adaptou as lojas ao modelo AMERICANAS EXPRESS. Com o negócio, a empresa aumentou sua gama de produtos vendidos, além do número de pontos de vendas, localizados em regiões estratégicas (áreas de alto fluxo, com acesso às classes A e B). A empresa também passou a deter a licença para o uso da marca BLOCKBUSTER no Brasil pelo período de 20 anos. Com o negócio, o número de lojas da empresa na região sudeste passou de 144 para 249. Já na Grande São Paulo, passou de 41 para 100. A empresa estabeleceu ainda, um novo recorde, inaugurando 50 lojas – 28 no modelo tradicional e 22 no modelo express, além de reformar 107 lojas da antiga BLOCKBUSTER, que nos anos seguintes perdeu cada vez mais espaço dentro das unidades AMERICANAS EXPRESS. Em 2011 a empresa inaugurou 90 novas lojas, um recorde para as LOJAS AMERICANAS. Além da expansão, a empresa investiu na reforma da rede de lojas e atualização tecnológica.


Os modelos
Atualmente as LOJAS AMERICANAS operam com três modelos diferentes de lojas:
Tradicional
É modelo tradicional da rede com área média de vendas de 1.500 m², que oferece aproximadamente 60 mil itens nas categorias bombonière, biscoitos, brinquedos, CDs, DVDs, utilidades domésticas, higiene, cosméticos, papelaria, vestuário, cama, mesa e banho e eletrodomésticos, entre outras. Essas unidades estão localizadas preferencialmente em shopping centers e áreas de grande circulação de pessoas.
Express
Lojas compactas, com média de 400 m² de área de vendas e catálogo de 15 mil itens, que variam conforme a unidade, a fim de atender o perfil do consumidor local.
Express Blockbuster
Modelo de loja criado após a compra da BLOCKBUSTER do Brasil. As lojas possuem em média 400 m² de área de venda, sendo um espaço de 80 a 100 m² dedicado à videolocadora, e o restante ocupado pelo modelo AMERICANAS EXPRESS. Esse modelo de loja está cada vez mais perdendo espaço e deverá desaparecer um futuro bem próximo.


Além disso, a empresa ainda oferece a Americanas.com (www.americanas.com) com mais de 37 categorias de produtos, tais como eletrônicos, CDs, DVDs, informática, eletrodomésticos, livros, games, brinquedos, papelaria, perfumaria e vinhos, entre outras. Entre os destaques do site, podemos mencionar o início da oferta de serviços digitais, tais como revelação de fotos, download de músicas e recarga de celulares, além de livros importados, vitaminas, tênis, produtos automotivos, casa e jardim e instrumentos musicais. Além das novas categorias mencionadas, a Americanas.com possui mais de 600 quiosques dentro das lojas físicas, oferecendo mais de 500 mil produtos do sortimento do site aos clientes das lojas físicas. O site opera ainda serviços de viagens (passagens aéreas, pacotes turísticos, aluguel de carros e reserva de hotéis) através das AMERICANAS VIAGENS, de ingresso através da Ingresso.com, lista de casamento, entre outros. Em 2006, o site se juntou ao Submarino e Shoptime, formando a empresa B2W, hoje líder desse segmento no país. Atualmente o site possui mais de 7.5 milhões de clientes.


Um gigante do varejo
As LOJAS AMERICANAS é um verdadeiro ícone do varejo brasileiro que lançou novos hábitos no país, como por exemplo, o cachorro-quente, o sundae, a banana split e o milk-shake. A importância desse gigante para o mercado pode ser medidas em números: maior vendedora de CDs do Brasil, juntando todos seria possível escutar mais de 11 milhões de horas de música, o equivalente a mais de 1.200 anos; circulam por suas lojas mensalmente o equivalente à população de países como Portugal, Áustria ou Argentina; se os milhões de cadernos universitários vendidos na volta às aulas fossem colocados um em cima do outro teriam a altura de 10.388 metros - uma medida superior a do Monte Everest, no Himalaia; e a quantidade de ovos vendida na Páscoa, se enfileirada, engarrafaria a ponte Rio-Niterói nos dois sentidos (28 quilômetros). Os itens de utilidades domésticas e eletrodomésticos respondem por 19% das vendas; produtos de entretenimento por outros 18%; alimentos de conveniência 17%; e vestuário por outros 17%. A região sudeste concentra o maior número de lojas (61%), seguido pela nordeste (17%), sul (9%) e centro-oeste (9%).


Os slogans
Grandes marcas, preços baixos, todos os dias.
As Lojas Americanas na sua casa. (comércio eletrônico)


Dados corporativos
● Origem: Brasil
● Fundação: 2 de maio de 1929
● Fundador: John Lee, Glen Matson, James Marshall e Batson Borger
● Sede mundial: Rio de Janeiro, Brasil
● Proprietário da marca: Lojas Americanas S.A.
● Capital aberto: Sim
● Chairman: Carlos Alberto da Veiga Sicupira
● Presidente: Miguel Gutierrez
● Faturamento: R$ 10.2 bilhões (2011)
● Lucro: R$ 340.4 milhões (2011)
● Valor de mercado: R$ 18.2 bilhões (dezembro/2012)
● Valor da marca: R$ 703 milhões (2011)
● Lojas: 706
● Presença global: Não (presente somente no Brasil)
● Maiores mercados: Rio de Janeiro e São Paulo
● Funcionários: 20.000
● Segmento: Varejo (loja de desconto)
● Principais produtos: Roupas, alimentos, eletrônicos e brinquedos
● Concorrentes diretos: Extra Supermercados e lojas de conveniência
● Slogan: Grandes marcas, preços baixos, todos os dias.
● Website: www.americanas.com

O valor
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca LOJAS AMERICANAS está avaliada em R$ 703 milhões, ocupando a posição de número 12 no ranking das mais valiosas do Brasil.

A marca no Brasil
A LOJAS AMERICANAS é uma das mais tradicionais redes de varejo do país, contando com 706 lojas nas principais cidades de 26 estados brasileiros, mais distrito Federal, e 3 centros de distribuição, localizados em São Paulo (Barueri), Rio de Janeiro (Nova Iguaçu) e Pernambuco (Recife), atuando também no comércio eletrônico, representada pela Americanas.com. A maioria de suas lojas estão concentradas na região sudeste, sul e nordeste do país. A rede comercializa mais de 60.000 itens de 4.000 empresas diferentes, o que faz com que detenha uma grande participação do comércio brasileiro de brinquedos, bombonière (chocolates, balas, chicletes e biscoitos), lingeries e CDs. Sua área total de venda é superior a 500.000 m².

Você sabia?
A rede é muito conhecida pela promoção Tarja Vermelha, que oferece descontos em diferentes produtos.
A LOJAS AMERICANAS é controlada por três empresários: Jorge Paulo Lehman, Marcel Telles e Carlos Sicupira, o mesmo trio que comanda a Inbev (antiga AmBev), GP Investimentos, América Latina Logística e outras empresas.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Época Negócios e Exame), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo Marketing), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 4/12/2012

2 comentários:

quessi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Haine disse...

Gostaria se realmente ha alguem responsavel nesta empresa que veja uma compra efetuada na Americanas.com protocolo nº50733426 e me diga se eu tenho eu não razão de reclamar e odiar a Americanas desta data em diante, ninguem me responde eu resolve meu problema