25.5.06

TOMMY HILFIGER


A versatilidade de seus produtos agrada a jovens fãs de hip-hop, mas também se encaixa no perfil de jovens mais “mauricinhos”, adeptos de um visual esportivo clássico. Suas roupas unem o moderno (com visual um pouco despojado) ao clássico. TOMMY HILFIGER, traduz como poucas marcas o estilo genuíno de vida americano em suas criações com predominância das cores vermelha, branca e azul, presentes no logotipo que mimetiza uma bandeira e em boa parte de seus produtos. 

A história 
Thomas “Tommy” Jacob Hilfiger (foto abaixo) nasceu no dia 24 de março de 1951, em Elmira, uma cidade nos arredores de Nova York. O jovem americano descendente de irlandeses começou sua carreira no mundo da moda em 1969, aos 18 anos, quando ainda era um estudante, com apenas US$ 150 no bolso e 20 calças jeans tipo boca-de-sino no banco traseiro de seu VW Fusca. O jovem viajava a Nova York para comprar os jeans, customizava as peças e revendia aos amigos e clientes. Oito anos mais tarde, já comandava uma rede de dez lojas de roupas e acessórios no estado de Nova York, a The People’s Place (algo como “O lugar do povo”). Não demorou muito para começar a desenhar roupas que seus clientes não achavam em outras lojas. A loja se tornou um ponto de encontro de jovens da cidade, e oferecia mais que calças boca-de-sino e camisetas tie-dye (do inglês, “amarrar” e “tingir”, expressão que denomina a técnica de tingimento tão associada à estética dos anos de 1970), concursos e apresentações de DJs eram constantes. Mas a crise econômica no final desta década fez com que o negócio falisse.


Na transição de empresário para estilista de moda, em 1979, Tommy se mudou para a cidade de Nova York com o intuito de se promover e desenvolver coleções próprias. Já na “Big Apple”, o estilista trabalhou para a Jordache durante alguns anos, até fundar a Tommy Hilfiger Corporation, com apoio do empresário indiano Mohan Murjani e outros parceiros, e lançar a marca que leva seu nome, em 1985, com a apresentação de sua primeira coleção de roupas masculinas. Originalmente, suas criações eram voltadas aos jovens universitários americanos. O talento do estilista para a publicidade foi decisivo para o sucesso da marca. A primeira campanha custou US$ 3 milhões e rapidamente atraiu o interesse do público e da mídia ao proclamar em um enorme outdoor em plena Times Square, coração de Manhattan, a si próprio como “um dos quatro grandes nomes da moda masculina americana”, ao lado de Calvin Klein, Perry Ellis e Ralph Lauren. Em 1986 as duas primeiras lojas próprias da marca foram inauguradas em Nova York na Avenida Columbus e Los Angeles na badalada Rodeo Drive (Beverly Hills). Em 1989 a marca expandiu a distribuição de seus produtos para o Canadá e Panamá.


Depois de expandir sua rede de distribuição e linha de produtos, o estilista e seus sócios, Silas Chou, Lawrence Stroll e Joel Horowitz, que compraram a TOMMY HILFIGER em 1989, abriram o capital da empresa em 1992, que nesta época já atingia vendas superiores a US$ 100 milhões. Com o dinheiro conseguido na Bolsa de Valores a empresa começou a diversificar sua linha de produtos e ingressar em novos mercados, como por exemplo, o japonês. Nos anos seguintes, meias, cintos, camisetas, casacos, passaram a fazer parte de sua linha de produtos, que não parava de crescer. Até a metade da década de 1990, o perfil de consumidor da TOMMY HILFIGER era semelhante, na época, ao de marcas como Calvin Klein: homens brancos, de classe média e meia idade. Foi quando o estilista percebeu que a imagem de sucesso e elegância de suas roupas, muitas vezes associada à prática de esportes da alta sociedade como iatismo e golfe geravam um grande desejo de consumo em jovens americanos de classes menos favorecidas economicamente. Era o momento então de reformular a imagem e o posicionamento da TOMMY HILFIGER para atender esse público. Essa mudança foi acelerada quando o polêmico cantor de rap Snoop Dogg (na época, conhecido como Snoop Doggy Dog) apareceu vestindo uma camisa TOMMY HILFIGER no Saturday Night Live, popular programa de humor da televisão americana, em 1994. Jovens negros aderiram à moda e as vendas da marca dispararam praticamente da noite para o dia. O fenômeno surtiu efeito até mesmo nas criações do estilista, que percebeu esse nicho e rapidamente passou a desenhar roupas mais largas e casuais para suprir a demanda de consumidores ávidos pelo estilo streetwear (expressão que define a moda nascida nas ruas). E o estilista aproveitou o vínculo musical para vestir estrelas e celebridades. Lenny Kravitz e Aaliyah protagonizaram as suas campanhas, e a marca patrocinou ainda turnês como a de Pete Townsend, em 1993, e a de Britney Spears, em 1999.


Nesta década a marca começou a inaugurar mais lojas próprias e suas primeiras unidades no conceito de outlet (lojas de desconto). A glória veio em 1995 quando Tommy Hilfiger foi eleito estilista do ano pelo Council of Fashion Designers of America. Nos anos seguintes a marca ingressou em novos mercados como Venezuela, México, Chile, e em muitos países da Europa, além de lançar suas primeiras coleções femininas, que fizeram tanto sucesso quanto a masculina. Nesta altura, a TOMMY HILFIGER, já era uma marca global. E não parava de vender. A marca desembarcou no Brasil somente em 1998, e pouco depois, em 2002, inaugurou uma loja na cidade alemã de Düsseldorf. Nos últimos anos a TOMMY HILFIGER continuou lançando novos produtos e ampliando suas linhas com introdução de outras marcas como H Hilfiger (também conhecida como H by Tommy Hilfiger) e a Hilfiger Denim (linhas de roupas e acessórios mais casuais). Em 2009, Tommy Hilfiger voltou às suas raízes para o lançamento da sua maior loja no mundo, com impressionantes quatro andares, na cidade de Nova York, em plena Quinta Avenida. Além disso, outras unidades foram inauguradas no Egito, Bélgica, França, Alemanha e Grécia.


No início do mês de março de 2010, o conglomerado de vestuário Phillips-Van Heusen Corporation, proprietário de marcas como Calvin Klein, BCBG Max Azria e Sean John, comprou a marca TOMMY HILFIGER em um acordo de aproximadamente US$ 3 bilhões. Ainda este ano, uma das ações comemorativas dos 25 anos da marca foi o lançamento de um novo perfume, o Loud, com versões para homens e mulheres. Seu nome – do inglês, “alto” ou “barulhento” – tem tudo a ver com uma de suas principais fontes de inspiração, a música. Afinal, ao longo desses anos a marca já vestiu artistas de todos os estilos como Lenny Kravitz, David Bowie, Britney Spears, Mark Ronson, Gwen Stefani, Usher e Destiny’s Child.


Em novembro de 2010 a marca inaugurou uma moderna e sofisticada loja âncora na Avenida Champs-Élysées, em Paris. No final de 2014, o tenista espanhol Rafael Nadal foi anunciado como embaixador global da marca para campanhas de underwear e para o perfume TH Bold. Em 2015 a marca americana completa 30 anos de vida e a comemoração foi bem longe dos Estados Unidos. Para celebrar três décadas de sucesso, TOMMY HILFIGER, mirou na Ásia, mais precisamente em Pequim, na China, pra festejar essa data tão importante. O desfile de inverno 2015, apresentado originalmente em Nova York, em fevereiro, foi reproduzido por lá no final de maio, e logo em seguida um jantar seguido da abertura da maior loja da marca no país, que já conta com aproximadamente 100 unidades. Talvez o produto mais conhecido da marca seja a camisa pólo. Não por acaso, a TOMMY HILFIGER tem mais de 50 modelos de camisas pólo em seu portfólio, todas com personalidade diferente para se adaptar aos seus variados tipos de consumidores.


A linha do tempo 
1992 
Lançamento da coleção de meias para homens e meninos. 
1993 
Lançamento da linha de cintos e acessórios de couro, além da coleção de roupas para meninos de 8 à 20 anos. 
Lançamento da coleção de roupas íntimas masculinas. 
1995 
Lançamento da coleção de roupões, roupas de golfe e do perfume Tommy Fragrance For Men
1996 
Lançamento da coleção feminina, do perfume TOMMY GIRL, das roupas para crianças entre 4 e 7 anos e da linha de óculos masculinos. 
1997 
Lançamento da linha de calçados para homens e meninos. 
1998 
Lançamento da coleção de cama, mesa e banho, além de óculos e calçados femininos. 
Lançamento do perfume Hilfiger Athletics Fragrance for Men
Lançamento da HILFIGER DENIM, uma linha de roupas mais modernas e esportivas feitas em jeans. 
1999 
Lançamento do site na internet, além de introduzir no mercado a linha de cosméticos para o corpo e banho, e a coleção de bolsas femininas. 
2000 
Lançamento da coleção esportiva para adolescentes, biquínis e roupas íntimas para crianças. 
2001 
Lançamento da coleção de relógios unissex. 
Lançamento do perfume masculino T for Him. A versão feminina seria introduzida no ano seguinte. 
2004 
Lançamento da H HILFIGER, uma marca composta por roupas e acessórios mais clássicos e de preço elevado. A marca foi extinta logo após a compra da TOMMY HILFIGER pela PVH EM 2010. 
Lançamento do perfume feminino TRUER STAR, com uma campanha estrelada pela cantora Beyoncé Knowles. 
2005 
Lançamento de seu comércio eletrônico. 
Lançamento do perfume masculino TRUER STAR GOLD, que tinha como garoto-propaganda Enrique Iglesias. 
2007 
Lançamento do sofisticado perfume feminino DREAMING
Inauguração da primeira loja Hilfiger Denim no bairro de SoHo em Nova York. 
2010 
Lançamento da nova coleção de óculos da marca, que incluía modelos no estilo aviador, silhuetas de inspiração retro e referências às décadas de 1970 e 1980 em modelos de acetato, metal e titânio. Tanto as armações de receituário quanto os óculos solares carregam as referências tão características do criador: estilo urbano e cool, mas ao mesmo tempo clássico e sem deixar de lado as cores da bandeira americana. 
2014 
Lançamento da coleção True to the Blue, que relembra os clássicos da marca inspirado no jeans através de jaquetas, camisas jeans, camisa pólo, calças, shorts, bermudas e macacão estilo jardineira. 
2015 
Lançamento do novo perfume masculino TH BOLD.


Campanhas que fizeram história 
O cantor e astro do rock britânico David Bowie, conhecido como o “camaleão do rock” e dono de um inegável senso de estilo, assinou contrato com a TOMMY HILFIGER no final de 2003, para estrelar as campanhas da então nova linha da marca, a H Hilfiger (linha mais clássica de roupas e acessórios), ao lado da mulher, a somaliana Iman Abdulmajid, uma super modelo na década de 1980. Era a primeira vez que os dois, casados desde 1992, apareceram juntos em uma campanha publicitária, lançada na primavera de 2004 para a linha de roupas e acessórios mais sofisticada do estilista, até então reconhecido por sua moda casual. As fotografias foram feitas na cidade de Amsterdã pela prestigiada fotógrafa alemã Ellen Von Unwerth, cuja marca registrada são as fotos em preto e branco, fugindo do padrão das imagens da “marca mãe”, sempre coloridas, com ênfase especial para as cores da bandeira norte-americana (azul, vermelho e branco).


Os logotipos 
A tradicional identidade visual da marca pode ser aplicada de várias formas, como mostra a imagem abaixo.


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 1985 
● Fundador: Tommy Hilfiger 
● Sede mundial: New York City, New York, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Tommy Hilfiger Corporation 
● Capital aberto: Não (subsidiária da PVH Corporation) 
● CEO: Daniel Grieder 
● Diretor criativo: Tommy Hilfiger 
● Faturamento: US$ 6.7 bilhões (2014) 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 1.400 
● Presença global: 90 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 10.000 
● Segmento: Moda 
● Principais produtos: Calças jeans, roupas esportivas, acessórios e perfumes 
● Ícones: As cores vermelha, branca e azul 
● Website: br.tommy.com 

A marca no mundo 
Atualmente os produtos da marca TOMMY HILFIGER podem ser encontrados nas melhores lojas de departamento do mundo, além das mais de 1.400 lojas próprias localizadas em cidades de 90 países, como Londres, Tóquio, St. Tropez, São Paulo, Xangai, Madri, Munique, Cidade do México e Hong Kong, com uma linha composta por mais de 100 diferentes produtos. No Brasil são mais de 25 lojas. Sucesso no mundo inteiro, o estilo autêntico da TOMMY HILFIGER e sua enorme variedade de artigos conquistou milhares de seguidores que apreciam o visual esportivo clássico da marca, faturando mais de US$ 6.7 bilhões em 2014. 

Você sabia? 
A TOMMY HILFIGER tem sete lojas âncoras (flagship store), localizadas em Nova York, Paris, Londres (duas unidades), Tóquio, Los Angeles e Düsseldorf. 
Em 1997 e 1999, a TOMMY HILFIGER patrocinou as turnês mundiais dos Rolling Stones, criando roupas exclusivas para o grupo. 
A pronúncia correta da marca é “Tô-mi Ril-Fí-guer”


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Exame e Isto é Dinheiro), sites de moda (PureTrend), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).  

Última atualização em 14/9/2015

7 comentários:

Anônimo disse...

Por favor como se pronuncia? é uma dúvida de vários anos rilfiger ou raifilger?

Fabio Gaspar disse...

Reparei que algumas marcas você coloca a pronuncia correta, outras não. Neste caso tenho até uma camisa da marca, mas tenho dúvida em relação à pronuncia. Poderia me indicar?
Já pensou em colocar um recurso de áudio?
Qndo o novo site fica pronto?
KK, muitas perguntas!

Vlw, abço

Fábio Henrique

Fausto disse...

Prezados Senhores,
gostaria de saber se ha interesse dos senhores em montar uma distribuição da linha de underwear no Brasil.
A marca com certeza teria um grande mercado, haja vista a distribuição da marca Calvin Klein ser muito bem sucedida.
Digo isto, pois fui o responsável por grande distribuição dos produtos para lojas específicas de Underwear e acabo de me desligar da Calvin.
Gostaria de saber mais informações.
muito obrigado,
Fausto del Pezzo
e-mail fausto-pezzo@uol.com.br

diguzion disse...

Ola.. trabalho na empresa www.shutt.com.br gostaria d ter a oportunidade da historia da empresa cotada no blog... sera possivel? entre en contato

rodrigo@shutt.com.br

Fabiano Leal disse...

Ola!Saberia me informar se existe fabrica da marca nos Estados Unidos? Tem varios vendedores no Mercado Livre vendendo polos da marca Made in USA e Made in MAURITIUNS não sei se são falsificadas ou verdadeiras.Desde já agradeço.

Anônimo disse...

ganhei um boné da tommy comprado em um shop de fortaleza por 60,00$$,fiquei desconfiado porque veio escrito "made in vietnam",não acho que seja original,pois,no site oficial da tommy,pra importar um custa quase 100,00$$,e vi que em um site só de grife no brasil custa 120,00$$, e o meu foi metade, apesar do material do boné ser muito bom.
alguém tem alguma opiniao???

Anônimo disse...

Oi...meu nome é Tati ! Moro em Orlando e revendo roupas da Tommy Hilfiger. Aqui não tem falsificação dessa marca, eu compro direto nas lojas. O valor varia, tem épocas do ano que a Tommy faz MEGA promoções. As roupas da Tommy são feitas em vários páises diferentes....nunca me preocupei em olhar, mas depois de ler comentários aqui, fui olhar minhas peças e tinha MADE IN CHINA, BANGLADESH, CAMBODIA, ÍNDIA, VIETNÃ, ETC. TODOS ESSES PAÍSES SÃO NOTÁVEIS PELA MÃO DE OBRA BARATA NA FABRICAÇÃO DE ROUPAS. MUITOS DESSES PAÍSES FALSIFICAM TB, ESPECIALMENTE A CHINA...A MAIOR DIFERENÇA É O MATERIAL, E O VALOR...NÃO PARA O CONSUMIDOR FINAL, MAS PARA O COMPRADOR DA FALSIFICAÇÃO. EU, SE MORASSE NO BRASIL DESCONFIARIA DE FRETES ENVIADOS DIRETO DA CHINA...CANSO DE VER ESTES ANÚNCIOS NOS MERCADO LIVRE (TANTO DE ROUPAS, QUANTO DE PERFUMES).

MEU EMAIL É TATIOUTLET@HOTMAIL.COM...POR ELE VC ENCONTRA MEU FACEBOOK ONDE ANUNCIO TODOS OS TIPOS DE MARCAS FAMOSAS. BEIJOCÃO !!!!!