2.3.08

AMERICAN GIRL


Bonecas são símbolos do universo feminino. Brincar, trocá-las, dar “comidinha”, pentear os cabelos, são coisas que milhares de meninas de várias gerações sempre fizeram. E a marca AMERICAN GIRL se tornou um símbolo justamente por tratar bonecas como se fossem de verdade e um mundo criado ao redor delas, com direito a cabeleireiro, SPA e cadeira à mesa do restaurante. Suas lojas, onde fantasia e realidade se confundem, são um enorme sucesso e se transformaram em verdadeiros pontos turísticos nos Estados Unidos, gerando uma febre de consumo entre pequenas donzelas de três a doze anos. 

A história 
A empresa estabeleceu-se como Pleasant Company em 1984, fundada por Pleasant T. Rowland, uma conceituada educadora e autora de materiais educacionais. Pouco depois, em 1986, ela criou a marca AMERICAN GIRL como uma maneira de educar e entreter garotas de 3 á 9 anos com livros de qualidade, bonecas e brinquedos que integrassem aprendizagem de forma lúdica e diversão, com o objetivo de enfatizar importantes valores tradicionais, principalmente da cultura americana. O catálogo inicial da marca era composto pelas três primeiras personagens (bonecas): Samantha Parkington (uma menina órfã criada por sua avó na cidade de Mount Bedford, Nova York, em 1904), Kirsten Larson (uma menina imigrante sueca que viveu no território de Minnesota em 1854) e Molly McIntire (uma menina do meio oeste que viveu durante a Segunda Guerra Mundial). O catálogo era composto também por seis livros com as três primeiras histórias, originalmente escritas por Daniel Steele, sobre as personagens (que explicava como era ser uma menina naquela época e com uma vestimenta exclusiva de seu tempo, região e classe social), assim como alguns objetos como pijamas, camas e malas para as bonecas. Inicialmente as primeiras bonecas eram produzidas na Alemanha.


Lançada oficialmente no início de setembro as bonecas fizeram enorme sucesso, vendendo US$ 1.7 milhões até o dia 31 de dezembro daquele ano. Com o passar dos anos a marca, uma das mais respeitadas no mercado americano em seu segmento, introduziu uma infinidade de novos produtos como, por exemplo, uma revista voltada para meninas entre 9 a 13 anos, outras linhas de bonecas, DVD’s com histórias, linha de roupas e acessórios (que incluía chapéus, cadeiras, camas e até mesmo cavalos) para as bonecas e também para as meninas, e com isso acabou conquistando a fidelidade de milhões de consumidoras, além de encantar pais e educadores.


A Mattel, maior fabricante mundial de brinquedos, adquiriu a empresa em 1998 por aproximadamente US$ 700 milhões, mas manteve a AMERICAN GIRL operando independente como uma subsidiária. Foi neste mesmo ano que a empresa inaugurou sua primeira loja temática na cidade de Chicago, criando uma experiência de compra única para as meninas, suas amigas e familiares. Era como se a loja fosse uma espécie de “portal mágico” que conduzia a menina para um mundo de sonhos do qual ela podia fazer parte e, onde pudesse aprender a cuidar de si e a ter um estilo de vida. Em julho de 2000, Ellen L. Brothers sucedeu Pleasant Rowland como presidente da AMERICAN GIRL e vice-presidente executiva da Mattel, dando continuidade ao brilhante trabalho de criar um universo único para as meninas.


Nos anos seguintes a marca inaugurou outras lojas por grandes cidades americanas, transformando o ato de comprar boneca em um acontecimento especial e mágico para milhões de pequenas consumidoras. Recentemente, o canal HBO anunciou um contrato com a marca AMERICAN GIRL para produzir filmes, séries e documentários sobre as bonecas, que já ganharam vida em outras interpretações de atrizes mirins para a televisão, feitas pela Warner Bros.


Atualmente a empresa mantém parcerias com instituições sem fins lucrativos promovendo ações filantrópicas, doando parte de seus recursos para programas educacionais, literários, ambientais, multiculturais e artísticos. O sucesso da marca AMERICAN GIRL pode ser traduzido em números: 140 milhões de livros vendidos desde 1986; 22 milhões de bonecas vendidas através do catálogo, lojas e internet; mais de 95% das garotas entre 7 e 12 anos de idade conhecem as bonecas AMERICAN GIRL, perdendo apenas para a Barbie nesta categoria; o catálogo da marca é um dos 25 maiores dos Estados Unidos; mais de 450.000 garotas assinam a revista AMERICAN GIRL, a maior publicação infantil dedicada à faixa etária acima de 8 anos; desde sua inauguração, em novembro de 1998, a loja de Chicago recebeu mais de 20 milhões de visitantes, serviu 850.000 refeições e teve 450.000 expectadores no teatro; e a página da marca na internet aproximadamente 60 milhões de visitantes por ano.


O enorme sucesso da marca está além do brand experience. Está pautado em conhecer profundamente seu público alvo e o contexto em que ele vive. Todos os produtos e serviços oferecidos pela AMERICAN GIRL atingem as pequenas consumidoras em vários pontos, mesclando moda, eventos, marketing de relacionamento, brand sense, brand content, storytelling, entre outras ferramentas e plataformas de comunicação combinadas. E um exemplo disso, é que alguns hotéis nos Estados Unidos são certificados pela AMERICAN GIRL para transformar sonhos na mais pura realidade. Há um pacote especial composto por estadia e acomodações para adultos, uma criança e uma boneca. Ao final da estadia, a criança é presenteada com a cama da boneca para levar para casa. A boneca também não passa fome. Isto porque o pacote inclui a entrega de cookies e leite para a menina poder se alimentar e não deixar sua bonequinha ficar subnutrida. Se os pais estiverem dispostos a gastar um pouco mais (na verdade muito mais), há o pacote premium, com direito a roupões iguais para criança e boneca e uma sessão de beleza para a boneca, que terá os seus cabelos tratados e penteados. Realmente trata-se de uma bonequinha de luxo.


A linha do tempo 
1991 
Lançamento da boneca FELICITY MERRIMAN com direito a um elegante chá colonial na cidade de Williamsburg, na Carolina do Sul, onde 11 mil pessoas estiveram presentes. Foi a partir desta boneca que todas começaram a ser produzidas com o corpo da mesma cor do rosto. Antes, todas as bonecas tinham corpos brancos. 
1992 
Lançamento da revista AMERICAN GIRL MAGAZINE, que traz jogos, ilustrações, ideias para festas e conteúdo editorial de ficção e não-ficção voltado para meninas de 8 à 13 anos. Atualmente a revista tem mais de 450.000 assinantes estando entre as 10 maiores publicações para crianças nos Estados Unidos e a maior publicação exclusiva para meninas a partir de 8 anos de idade. A cada edição, a redação recebe mais de 12.000 cartas de leitoras mirins, um feedback que ajuda a marca a atender melhor suas consumidoras. 
Lançamento do AMERICAN GIRL FASHION SHOW, eventos com desfiles, onde as modelos são meninas e bonecas, com o objetivo de arrecadar fundos para instituições beneficentes. 
1995 
Início da comercialização de bonecas e acessórios da linha AMERICAN GIRL TODAY, que representam a individualidade e diversidade das meninas americanas dos dias atuais; livros de atividades contemporâneas (AMERICAN GIRL LIBRARY); e da coleção AMERICAN GIRL GEAR composta por roupas e produtos para meninas. 
Lançamento da linha BITTY BABY, composta por bonecas-bebês voltadas para meninas de 3 a 6 anos com diferentes combinações de cor de pele, olhos e cabelos (atualmente são 11 diferentes opções). Todas as bonecas vinham acompanhadas de um ursinho de pelúcia (chamado Bitty Bear) e um livro de estórias. 
1996 
Lançamento do site oficial da marca na internet (www.americangirl.com). Anualmente cerca de 60 milhões de pessoas visitam a página da marca na internet. 
1998 
Inauguração, na cidade de Chicago, da primeira loja temática da marca chamada AMERICAN GIRL PLACE
2000 
Lançamento da boneca ANGELINA BALLERINA, livro de pintura e outros produtos da personagem para crianças acima de três anos. 
2001 
Lançamento das bonecas de edições limitas conhecidas como GIRL OF THE YEAR. A primeira foi a boneca Lindsey. 
Firma parceria com a tradicional Hallmark para produção de uma linha de papelaria exclusiva da marca. 
2002 
Lançamento da GIRLS of MANY LANDS, uma linha composta por 8 bonecas e livros que contavam a história de garotas de diversas partes do mundo. 
Lançamento da BITTY TWINS, uma linha de bonecas gêmeas (menina+menina, menina+menino e menino+menino) com inúmeros acessórios, voltada para garotas mais novas. 
2003 
Lançamento da HOPSCOTCH HILL SCHOOL, uma linha integrada de boneca e livros de alta qualidade para meninas de 4 a 6 anos com temas pré-escolares. 
Lançamento da linha COCONUT, composta por um personagem (cachorrinho) e livros de atividades. 
2005 
Lançamento da boneca JESS e toda sua linha de produtos, tais como livro e acessórios. A boneca trazia o conceito de viagens e aventuras por novos continentes com produtos que estimulavam a “eco-aventura” e a descoberta de lugares exóticos. 
Lançamento da linha AMERICAN GIRL REALBEAUTY INSIDE AND OUT composta por produtos de beleza direcionados para meninas entre 8 a 12 anos, além de livros que ensinavam como cuidar da pele e dos cabelos por faixa etária. 
2010 
Lançamento da linha MY AMERICAN GIRL, onde a consumidora pode montar sua própria boneca através da combinação de 40 diferentes cores de olhos, cabelos e pele, além de acessórios e roupas.


As bonecas 
A AMERICAN GIRL possui três linhas principais de bonecas, possibilitando assim, que a menina tenha muitas opções e escolha a que mais se assemelhe fisicamente a ela ou a personagens históricas da cultura americana: 
AMERICAN GIRL COLLECTION 
Composta por bonecas que contam histórias de garotas de outras épocas, geralmente personagens históricas da cultura americana, propondo às suas consumidoras reviverem um pouco do passado e incentivando a imaginação e o aprendizado. A linha é composta pelas bonecas: 
Molly McIntire (introduzida em 1986) – Boneca que representa uma menina que viveu nos tempos da Segunda Guerra Mundial. 
Addy Walker (introduzida em 1993) – Boneca que representa uma menina negra que fugiu com sua mãe do estado da Carolina do Norte para a Filadélfia durante a Guerra Civil Americana. 
Josefina Montoya (introduzida em 1997) – Boneca que representa uma menina de origem hispânica que viveu em um rancho no estado do Novo México durante o controle mexicano em 1824. 
Kit Kittedrge (introduzida em 2000) – Boneca que representa uma menina que viveu em meio aos distúrbios da Grande Depressão Americana, em 1934, na cidade de Cincinnati, estado do Ohio. Ela vive com sua melhor amiga, a inglesa Emily Bennett (introduzida em 2006). 
Kaya Atonmy (introduzida em 2002) – Boneca que representa uma índia nativa americana da tribo Nez Perce que viveu em 1764, antes do país ser colonizado por europeus. 
Julie Albright (introduzida em 2007) – Boneca que representa uma menina, filhas de pais separados, que viveu na cidade de San Francisco em pleno movimento Hippie na década de 1970. Ela vive com sua melhor amiga Ivy Ling, uma menina de origem chinesa. 
Rebecca Rubin (introduzidas em 2009) – Boneca que representa uma típica menina nova-iorquina de 1914. 
Marie-Grace e Cécile (introduzidas em 2011) – Duas bonecas que representam meninas que viveram em 1853 na cidade de New Orleans. 
Caroline Abbott (introduzidas em 2012) – Boneca que representa uma menina que cresceu durante a guerra de 1812.


MY AMERICAN GIRL 
Coleção mais contemporânea que possui o diferencial de possibilitar por meio de 40 modelos diferentes (que medem 46 centímetros em versões loiras, ruivas, morenas, asiáticas e negras) que as meninas possam ter uma boneca parecida com elas fisicamente, o que segundo os conceitos culturais é uma forma de incentivar a continuidade dos valores étnicos e sociais dessas famílias. As roupas e acessórios podem ser vestidos pelas meninas e por suas bonecas, como mãe e filhas que dividem os mesmos gostos e que por meio dessa simbologia estão perpetuando tradições e modos de pensar.


GIRL OF THE YEAR 
Coleção composta por bonecas com edições limitadas. Apenas uma boneca é lançada por ano. Cada uma delas possui um universo particular, com histórias e personalidade que buscam representar as meninas atuais. Desde sua introdução, em 2001, foram lançadas as bonecas Lindsey Bergman (2001), Kailey Hopkins (2003), Marisol Luna (2005), Jess Akiko McConnell (2006), Nicki Fleming (2007), Mia (2008), Chrissa (2009), Lanie (2010), Kanani (2011), McKenna (2012) e Saige (2013).


As lojas 
As lojas da marca, batizadas de AMERICAN GIRL PLACE, proporcionam aos consumidores, formados em sua esmagadora maioria por meninas e suas mães, avós e amiguinhas, uma verdadeira experiência de compra, ou como gostam de chamar os profissionais de comunicação, marketing experiencial. Cada detalhe das lojas, desde as prateleiras até os assentos do restaurante, foi projetado nos mínimos detalhes tendo em mente as meninas acima de 7 anos.


Na famosa loja da marca na 5ª Avenida em Nova York, para ter uma ideia de onde a experiência de compra pode chegar, é possível encontrar: um conciérge, recepcionando e orientando as consumidoras que chegam à loja; uma livraria onde se vendem livros que contam estórias sobre as bonecas à venda; um completo salão de beleza para bonecas (Doll Hair Salon), onde por US$ 10 é possível fazer as unhas e mudar o penteado da boneca ou até mesmo aplicar máscara de barro e pepinos nos olhos; um estúdio, onde as meninas tiram fotos com suas “filhas”; grande e variada oferta de acessórios e roupas iguais para as meninas e para as bonecas; um hospital de bonecas (Doll Hospital), local onde as bonecas são “internadas” para conserto (uma espécie de assistência técnica moderna), com direito até a cadeira de roda (paga à parte); uma área para a família de bonecas históricas, onde, por exemplo, uma delas viveu na época da Grande Depressão Americana e outra foi uma escrava que lutou pela liberdade, sempre com estórias relacionadas ao desenvolvimento do país e que podem ser lidas nos livros vendidos na livraria; um teatro (American Girl Theater) com capacidade para 200 pessoas onde são realizadas duas apresentações diárias com uma hora de duração assinadas por profissionais da Broadway, cujo ingresso só é conseguido com antecedência; e um aconchegante restaurante/café onde as bonecas são acomodadas em cadeiras especiais ao lado de suas donas e servidas pelas garçonetes. O cardápio apresenta pratos inspirados nas personagens e histórias infantis. O restaurante, que também oferece festas infantis, serve diariamente café da manhã, almoço e chá da tarde, além de jantar às sextas e sábados. Esta loja, inaugurada em novembro de 2003, já mais de 4 milhões visitantes.


A partir de 2007 a empresa desenvolveu um novo formato de loja, com unidades nas cidades de Atlanta e Dallas, chamada AMERICAN GIRL BOUTIQUE AND BISTRO. São lojas em formatos menores que as lojas âncoras (flagships stores) existentes nas cidades de Nova York, Chicago (inaugurada em 1998) e Los Angeles (inaugurada em 2006), porém com mais espaço dedicado a salões para festas infantis. Segundo a empresa, para muitas pessoas a visita a uma loja AMERICAN GIRL é uma experiência para a vida inteira, e o conceito Boutique and Bistro pretende tornar a marca mais acessível e estimular o relacionamento das clientes com a marca. Assim como acontece nas lojas âncoras, o novo formato conta com um restaurante, porém com ambientação mais informal e não existe a possibilidade de fazer reservas. O conceito Bistro também conta com vários salões de festa, para que as clientes possam celebrar, junto com suas bonecas, datas importantes de suas vidas (das meninas e das bonecas). Desde a inauguração da primeira loja, mais de 54 milhões de pessoas já experimentaram o incrível universo da AMERICAN GIRL.


Os slogans 
Follow your inner star. 
Those dolls are just like you.


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1986 
● Criadora: Pleasant T. Rowland 
● Sede mundial: Middleton, Wisconsin 
● Proprietário da marca: Mattel, Inc. 
● Capital aberto: Não (subsidiária) 
● Presidente: Jean McKenzie 
● Faturamento: US$ 550 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 17 
● Presença global: Não (presente somente nos Estados Unidos) 
● Funcionários: 2.500 
● Segmento: Brinquedos 
● Principais produtos: Bonecas, livros, revistas, roupas e acessórios 
● Concorrentes diretos: Madame Alexander e Middleton Doll 
● Ícones: A perfeição de suas bonecas 
● Slogan: Follow your inner star. 
● Website: www.americangirl.com 

A marca nos Estados Unidos 
Os produtos da marca (livros educativos, bonecas, roupas, acessórios, papelaria e jogos) são vendidos por catálogo (anualmente 58 milhões deles são enviados para lares americanos), pela internet, nas 3 lojas âncoras AMERICAN GIRL PLACE (Chicago, Nova York e Los Angeles), nas 13 lojas AMERICAN GIRL BOUTIQUE AND BISTRO (Atlanta, Denver, Dallas, Boston, Houston, Minneapolis, Kansas City, Miami, Seattle, St. Louis, Washington, Columbus e San Francisco) e na loja estilo Outlet, localizada em Oshkosh, estado do Wisconsin. Os livros são também encontrados em livrarias espalhadas por todos os Estados Unidos. A AMERICAN GIRL emprega 2.500 pessoas fixas, podendo chegar a 4.700 durante a alta temporada. Três fabricantes têm criado as bonecas AMERICAN GIRL. A primeira foi a Goetz, na Alemanha. As bonecas mais antigas apresentam uma etiqueta com a inscrição “Fabricado na Alemanha Ocidental”. Posteriormente, a produção passou para a Hungria e para a China. O processo de criação de uma nova boneca pode envolver profissionais de várias áreas, incluindo historiadores e educadores. 

Você sabia? 
O preço da boneca básica é de aproximadamente US$ 110, numa oferta que inclui livro ou DVD que conta sua história. A linha de bonecas é bastante vasta e permite que a menina possa escolher a que mais se assemelhe fisicamente a ela ou personagens históricas da cultura americana. 
Desde sua publicação, em 1998, o livro da marca que ensina meninas a cuidarem de si e de seu corpo (The Care & Keeping of You: The Body Book for Girls) já vendeu mais de 3.8 milhões de cópias. 
As bonecas podem “ganhar vida” online através da Innerstar University™, que é o campus virtual para meninas e suas AMERICAN GIRL, repleto de jogos e brincadeiras. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 12/10/2013

2 comentários:

Roberto Sena disse...

cara, já tenho o seu blog na relação de "blogs"lá do Blog dos irmãos(www.blogdosirmaos.com), agora vou coloca-lo em outro, o Sampa Meu Lugar(www.sampameulugar.wordpress.com), e fazer um artigo sobre seu blog também! um abraço!

Miami Ram disse...

Thank you for the info. It sounds pretty user friendly. I guess I’ll pick one up for fun. thank u...



Aventura Jeep