7.6.06

NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL


As câmeras flagram leões caçando em perseguições espetaculares; expedições aos lugares mais remotos do planeta; devastações causadas por fenômenos naturais como furacões, tufões e terremotos; as entranhas e técnicas utilizadas em grandes construções; e muitas outras situações que tornam as lentes das câmeras os olhos do telespectador. O canal NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL, que transforma o passivo telespectador em um verdadeiro desbravador do planeta Terra, leva milhões de pessoas para as regiões mais exóticas do planeta, transformando-se em um ícone de aventura, conhecimento e cultura. 

A história 
A história do canal começou quando a National Geographic Society (ver artigo no tópico abaixo) teve a ideia de explorar o uso da televisão como um meio para disponibilizar as viagens de seus correspondentes, seus programas e documentários de interesses educacionais, culturais e científicos, a um maior número de pessoas ao redor do mundo. Os programas e documentários televisivos começaram a serem transmitidos em 1965 inicialmente pela rede de televisão CBS com a estreia do documentário “Americans on Everest”, que exibia uma expedição de americano patrocinada pela NGS ao monte Everest. Nos anos seguintes os programas foram transmitidos pela ABC (1973-1974) e finalmente pela PBS em 1975. Neste período as impecáveis produções da NATIONAL GEOGRAPHIC fizeram enorme sucesso e despertavam interesse cada vez maior dos telespectadores e da sociedade em geral.


Em 1997, a instituição achou que era uma boa hora para lançar um canal próprio expandindo ainda mais seus 110 anos de compromisso em divulgar à humanidade a compreensão do mundo. E isto aconteceu exatamente no dia 1º de setembro, através de uma parceria com a rede de televisão NBC, quando entrou no ar o NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL (conhecido também pelas abreviaturas NatGeo ou NGC), disponível inicialmente via cabo ou satélite para alguns países do continente europeu e na Austrália. No início a instituição fornecia ao novo canal seu extenso acervo de documentários produzidos pela premiada National Geographic Television (NGT) e imbatíveis fontes de pesquisa como as encontradas em sua biblioteca, mapoteca e departamentos de pesquisas e expedições. Eram verdadeiros tesouros na tela da televisão.


Com apurada qualidade visual, o NGC proporcionava a poderosa experiência do “estar lá”, levando os bastidores para os telespectadores, apoiando exploradores ao redor do mundo e trazendo aventura, exploração, vida selvagem, povos, culturas e fenômenos naturais com sua programação de alta qualidade. Os documentários exploravam dos mistérios das profundezas do oceano à fauna e flora das florestas tropicais, indo das aventuras de Sir Edmundo Hillary aos estudos com chimpanzés realizados por Jane Goodall, sem esquecer das incríveis aventuras de Bob Ballard, o homem que descobriu o Titanic, em suas missões mais recentes; as fantásticas e inesquecíveis expedições de Jacques-Yves Cousteau pelos oceanos; a ousada expedição ao Mar Negro, em busca das origens do Dilúvio de Noé; e a busca pelo mini submarino japonês que se perdeu momentos antes do ataque a Pearl Harbor. Era a história sendo retratada bem diante dos olhos dos telespectadores.


O canal começou um período de forte expansão em julho de 1998 com o lançamento no continente asiático, em janeiro de 2000 com sua introdução em 1º de novembro no Brasil e no ano seguinte, em janeiro, no território americano através de uma parceria com a FOX Cable Networks. Pioneiro em seu formato e temática, os programas da NATIONAL GEOGRAPHIC TELEVISION (NGC) estão entre os melhores documentários para televisão no mundo. Hoje em dia o canal desafia e convida os telespectadores a “despertarem sua curiosidade” através de uma programação inteligente, dinâmica e inovadora, que analisa e documenta temas relevantes e atuais sobre o ser humano, a vida animal, ciências do futuro, tecnologia e legados históricos, sociais, geográficos e antropológicos, que contribuíram e contribuem para a construção da sociedade atual. O NGC acompanha exploradores pioneiros, cientistas, ambientalistas, produtores de filmes e fotógrafos, contribuindo assim para o compromisso que a NATIONAL GEOGRAPHIC SOCIETY tem com a sociedade mundial: explorar, conservar e educar.


Desde sua primeira exibição na televisão, os filmes e documentários da NGT já ganharam mais de 800 prêmios, incluindo 116 Emmy Awards e, após duas indicações, o Oscar de melhor documentário em curta-metragem por Rei Coragem (King Gimp), em 2000, que tinha como protagonista um portador de paralisia cerebral, mas conseguiu estudar, ir para a faculdade, ter amigos e se tornar um artista plástico.


A linha do tempo 
1999 
Lançamento em 1º de novembro do ADVENTURE ONE (A1), um canal, direcionada aos telespectadores mais jovens, com uma programação baseada em aventuras e esportes ao ar livre, viagens e histórias de pessoas se divertindo enquanto exploram o mundo. Em 1º de maio de 2007 o canal adotou o nome de NATIONAL GEOGRAPHIC ADVENTURE em mais de 40 países para onde é transmitido. 
2002 
Estreia de TABOO, um programa que mostrava, através de uma visão educacional, rituais e tradições (morte, fanatismo, crimes, punições, formas de amor e mudanças de personalidade) em algumas sociedades, que ainda hoje são consideradas ilegais ou tabus em outras. Recentemente, em 2010, a série estreou o Tabu América Latina, um programa que enfoca diversos costumes relacionados à culinária, cerimônias de iniciação, profissões e terapias médicas nos países da América Latina. 
2003 
Estreia do MayDay! Desastres Aéreos, um programa que examina os desastres aéreos mais chocantes do mundo, ocorridos na água, terra ou no ar. Os telespectadores irão conhecer as incríveis causas destas tragédias e as emocionantes histórias das pessoas envolvidas. 
2004 
Estreia da série MegaStructures (Mega Estruturas) destinado a passar aos telespectadores a parte interna das grandes obras da atualidade, projetos ousados e arquiteturas de grande porte. 
2005 
Lançamento do canal NAT GEO JUNIOR com programação educacional e científica voltada para crianças. O canal foi introduzido primeiramente na Índia e logo depois na Holanda, Bélgica e outros países asiáticos (onde é transmitido como um bloco de programação do canal original). 
2006 
Lançamento no dia 1 de janeiro, primeiramente em Hong Kong, do NATIONAL GEOGRAPHIC WILD, um canal por assinatura focado primeiramente em programas da vida selvagem e história natural. Nos anos seguintes o canal, que passou a ser conhecido como NAT GEO WILD, foi lançado na Turquia, Reino Unido, Irlanda, Romênia, Vietnã e Polônia. Em 2009 o canal foi lançado na América Latina. 
Lançamento em janeiro do NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL HD, canal exclusivo para transmissões de programas em alta definição. O canal foi lançado nos mês seguinte na Canadá e no Reino Unido. 
2007 
Lançamento em 15 de outubro na Itália do NAT GEO MUSIC, desenvolvido como alternativa para canais de música e vídeos, com programação 24 horas focada na música. A grade de programas abordava temas que relacionavam viagem, música, cultura local e shows acústicos e intimistas. O canal foi encerrado em 2011 devido à baixa audiência.


A Sociedade Geográfica Nacional e sua revista 
A National Geographic Society (em português, Sociedade Geográfica Nacional) foi fundada nos Estados Unidos em 27 de janeiro de 1888 por 33 homens interessados em “organizar uma sociedade para o incremento e a difusão do conhecimento geográfico”. Gardnier Greene Hubbard se converteu no primeiro presidente, e seu genro, Alexander Graham Bell foi seu sucessor. Seu propósito era difundir o conhecimento geográfico e financiar pesquisas científicas. O primeiro meio de comunicação da nova sociedade foi a criação da revista NATIONAL GEOGRAPHIC MAGAZINE, publicada pela primeira vez nove meses depois da fundação da instituição e enviada para seus 200 membros. Rapidamente tornou-se a maior organização educacional e científica sem fins lucrativos do mundo. E a revista foi fundamental para isso.


Em outubro de 1952 a revista publicou o primeiro de muitos artigos escritos pelo explorador francês Jacques-Yves Cousteau. Outra inovação ocorreu em setembro de 1959 quando a revista passou a ter as capas coloridas. Nos anos seguintes, a sociedade iniciou uma diversificação de suas publicações para atingir públicos diferentes, como por exemplo, em 1975 quando lançou a NATIONAL GEOGRAPHIC WORLD (atual NATIONAL GEOGRAPHIC KIDS), uma revista direcionada para as crianças e adolescentes; ou em 1984, com a introdução da NATIONAL GEOGRAPHIC TRAVELER, revista cujas matérias e fotos são baseadas em viagens e lugares interessantes para se explorar e curtir em todas as partes do mundo.


Desde 1890, o Comitê para Pesquisas e Explorações da NGS financiou mais de 10.000 mil expedições ao redor do mundo comandadas por renomados cientistas, como Jane Goodall, Dian Fossey, Jacques-Yves Cousteau, Paul Sereno, Birute Galdikas, Robert Ballard, Louis Leakey e Robert E. Peary. Atualmente o comitê apoia 500 expedições e explorações a cada ano e distribui cerca de US$ 4 milhões em prêmios para projetos de pesquisa de importância científica e ambiental. A tradicional revista, carro-chefe da NGS, é distribuída para mais de 8 milhões de membros da sociedade e possui 80 milhões de leitores pelo mundo, sendo publicada atualmente em 39 idiomas, como por exemplo, inglês, japonês, hebraico, português, espanhol, italiano, alemão, francês, coreano, polonês, russo e grego. A NATIONAL GEOGRAPHIC SOCIETY, que possui atualmente 8.5 milhões de membros, tem como slogan “Inspiring people to care about the planet”.


A loja dos exploradores 
A NATIONAL GEOGRAPHIC SOCIETY (conhecida pela sigla NGS), sociedade sem fins lucrativos, que nasceu com a missão de difundir o conhecimento geográfico e financiar pesquisas científicas, é conhecida principalmente pelo canal de televisão e pela revista que levam o seu nome. Mas ela quer muito mais do que isso: pretende se tornar sinônimo de varejo. É que mais recentemente, no mês de novembro de 2008, a marca abriu uma loja no coração da cidade de Londres, em Regent Street, na área nobre do varejo da capital britânica. Desde que foi aberta, a loja da capital britânica tornou-se ponto turístico e passou a concorrer com museus como a National Gallery ou mesmo com o tradicional British Museum. Com 1.800 m² divididos em três andares, o espaço abriga um auditório (que apresenta palestras gratuitas de alguns dos mais renomados repórteres, fotógrafos, escritores e exploradores da NATIONAL GEOGRAPHIC SOCIETY, bem como exibições de filmes produzidos pela empresa), restaurante (que oferece alimentos orgânicos e de Comércio Justo, e cujo foco é o conceito slow food, bastante apropriado para um local em que a visita deve ser feita sem pressa), estúdio fotográfico (onde é possível testar os equipamentos disponíveis e contar com o apoio consultivo da equipe de vendas), agência de viagens (onde é possível reservar passagens em pacotes turísticos locais e/ou expedições realizadas pela NGS), biblioteca (que apresenta guias, mapas e livros sobre todas as regiões do planeta) e pavilhão para exposições (com mostras periódicas inspiradas no conteúdo dos canais internacionais da NGS, das revistas editadas ao redor do mundo e dos projetos financiados pela Sociedade).


O design do local já ajuda a mergulhar o consumidor nesse mundo novo e fascinante de conhecimento, por meio de móveis de madeira, iluminação focada nos produtos e objetos cênicos e displays interativos que formam um mix interessante entre modernidade e tradição. Na área dedicada ao varejo propriamente dito, está disponível uma ampla seleção de produtos da NATIONAL GEOGRAPHIC SOCIETY, incluindo livros, mochilas e bússolas. Não apenas revistas de todo o mundo, livros e DVDs, mas também vestuário, calçados, óculos, objetos artesanais trazidos de todos os cantos do planeta, itens de papelaria e mapas. O mais impressionante, porém, é a forma como os produtos à venda podem ser testados. A loja conta com salas especiais que simulam tempestades de vento e mudanças bruscas de temperatura para provar a resistência dos equipamentos de aventura. Outra novidade inclui uma parceria com a Sony para instalar um sistema exclusivo de som e imagem. Através de uma rede interna, o mesmo conteúdo pode ser passado simultaneamente nas 42 televisões do local.


Nos anos seguintes outras unidades menores da loja foram inauguradas no aeroporto de Málaga (Espanha) e Cingapura, além de lojas âncoras nas cidades de Madri e Kuala Lumpur (Malásia). Nas lojas, os clientes encontram - além de produtos relacionados a viagens como guias - roupas e acessórios esportivos, móveis de design, brinquedos, objetos de arte e até joias importadas da África. O objetivo da NGS é aumentar o faturamento, que hoje já é de aproximadamente US$ 800 milhões, para reverter parte do lucro para cerca de nove mil projetos de pesquisa da própria NAT GEO, como a sociedade é chamada.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas pequenas alterações ao longo dos anos. Apesar do símbolo da marca (uma moldura amarela) permanecer inalterado, em 2000 foi introduzido um novo logotipo internacional, com uma nova tipografia de letra. O mercado americano, onde o logotipo era um pouco diferente, adotou a nova identidade visual somente em 2005. O nome da marca pode ser aplicado todo em preto com a palavra “Channel” em cinza ou todo em cinza.


Os slogans 
The places we take you aren’t just on the map. (2013) 
Live Curious. (2009) 
Think again. (2005) 
Dare to Explore. (2005) 
Get closer. (NAT GEO WILD) 
Desperte sua curiosidade. (Brasil, atual) 
Você nem imagina. (Brasil, antigo) 
This is Who We Are. (2011, Índia)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1º de setembro de 1997 
● Criador: National Geographic Society 
● Sede mundial: Washington DC 
● Proprietário da marca: National Geographic Television & Film e Fox Entertainment Group 
● Capital aberto: Não 
● Chairman: John M. Fahey (NGS) 
● CEO & Presidente: Gary Knell (NGS) 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Assinantes: 440 milhões 
● Presença global: 172 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Entretenimento 
● Principais produtos: Canal de televisão, produção de documentários, livros e revistas 
● Concorrentes diretos: Discovery Channel, History, Animal Planet e Travel Channel 
● Ícones: O quadro amarelo de seu logotipo 
● Slogan: The places we take you aren’t just on the map. 
● Website: www.natgeo.com.br 

A marca no mundo 
O canal atualmente é transmitido em 48 idiomas (entre os quais inglês, português, francês, italiano, espanhol, dinamarquês, holandês, polonês, hebraico, turco, mandarim, hindu, grego, russo e japonês), para 172 países e mais de 440 milhões de lares, 84.4 milhões somente nos Estados Unidos. Além disso, a revista NATIONAL GEOGRAPHIC (lida por mais de 60 milhões de pessoas mensalmente) e os outros meios de mídia atingem mais de 450 milhões de pessoas todos os meses no mundo todo. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Isto é Dinheiro), jornais (Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Mundo Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 16/9/2013

Nenhum comentário: