13.6.06

GOL


A GOL LINHAS AÉREAS nasceu para revolucionar o mercado da aviação doméstica nacional, fazendo com que todo brasileiro tenha direito a voar, e agora busca ser reconhecida como a empresa que popularizou o transporte aéreo na América Latina. Com alta tecnologia, frota nova e padronizada e equipe motivada, a GOL é atualmente referência no mercado da aviação comercial.

A história
A GOL LINHAS AÉREAS foi fundada oficialmente em agosto de 2000, por Constantino de Oliveira Júnior, herdeiro do grupo mineiro Áurea, uma empresa com mais de 50 anos de história no setor de transportes terrestres no Brasil. No ano que precedeu a fundação da GOL, o grupo transportou mais de 400 milhões de pessoas. Através de muitos estudos e pesquisas, o Grupo chegou à conclusão de que 95% da população brasileira não tinha acesso a aviões como meio de transporte. Também foi observado que havia mais de 25 milhões de pessoas no país dispostas a voar. Porém, demandando preços mais baixos, segurança e qualidade. Com a globalização, as distâncias aumentaram, os prazos diminuíram e a procura por qualidade tornou-se fundamental. Sendo assim, a GOL resolveu adotar o conceito low cost, low fare (baixo custo, baixo preço), para oferecer passagens aéreas a preços justos e com serviços de alta qualidade. A filosofia e a forma de prestação de serviços do Grupo Áurea foram transmitidas para o novo negócio que estreava no setor aéreo.


Na GOL LINHAS AÉREAS, o desafio era reescrever a história da aviação a partir de um papel em branco. Para isso, Constantino de Oliveira Júnior, que contou com a ajuda de seu irmão Henrique, se cercou de um grupo de pessoas que tinham conhecimento no setor de aviação e foi à luta. A sua paixão por aviões foi determinante no seu desempenho à frente da nova empresa. Constantino Jr. fez o primeiro voo solo com 16 anos e apenas nove horas de experiência. Com um investimento inicial de US$ 20 milhões, 6 aeronaves Boeing 737-700 e uma rede razoavelmente espalhada, a nova companhia aérea realizou seu primeiro voo exatamente no dia 15 de janeiro de 2001.


É importante destacar, também, o momento positivo em que a empresa chegou ao mercado nacional. O ano de 2001 foi o último ano de vida da Transbrasil. A Vasp estava nas últimas também - embora ela tenha sobrevivido até janeiro de 2005. As duas companhias já estavam em completa decadência e a Varig estava com sérios problemas financeiros. Praticamente, a única concorrente era a TAM. E até mesmo um acontecimento trágico para a aviação – o terrível 11 de setembro de 2001 – acabou ajudando. Isso porque, ao reduzir a demanda aérea global, aquele evento permitiu à GOL adquirir aeronaves de primeira geração a um custo menor. O modelo de negócios que a companhia implantou no país logo causou um efeito cascata na indústria aeroviária. Com tarifas a preços acessíveis, muitos viajantes migraram do transporte rodoviário para o aéreo, o que triplicou o número de passageiros transitando nos aeroportos. Foi o chamado “Efeito GOL”.


A empresa também obteve sucesso ao mudar alguns padrões da aviação nacional, que trabalhava com a valorização de conceitos como sofisticação, requinte e glamour na promoção do transporte aéreo. Ao combinar baixas tarifas com serviços simplificados e confiáveis, tratando os passageiros igualmente em voos com uma única classe de serviços, a GOL conseguiu aumentar sua participação de mercado e fidelizar passageiros, além de atrair um novo grupo de clientes. O crescimento da empresa foi tão rápido que, no ano de 2002, já inaugurava a ponte aérea Rio-São Paulo. A partir de 2003, a GOL iniciou seus voos internacionais, começando pela cidade de Buenos Aires na Argentina, e se estendendo pelas principais cidades sul-americanas nos anos seguintes. Em 2005 a GOL se tornou a única companhia aérea brasileira a voar para todas as capitais do país.


No dia 15 de setembro de 2006, a empresa inaugurou o seu Centro de Manutenção de Aeronaves, localizado no terminal de cargas do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins), na região metropolitana de Belo Horizonte. O motivo desta inauguração foi que a empresa já possuía um razoável número de aeronaves e decidiu ela mesma fazer a manutenção de seus aviões. O centro de manutenção cuida da frota de aeronaves da própria GOL, e também presta manutenção para outras empresas aéreas.


Em 28 de março de 2007, a GOL comprou da VRG Linhas Aéreas, também conhecia como a “nova Varig”, por US$ 275 milhões, vencendo a disputa com a empresa chilena LAN. Este fato permitiu a empresa ampliar a sua participação no mercado internacional. Entre as principais mudanças ocorridas em 2008 estão: os voos nacionais e os internacionais de curta duração da companhia aérea passaram a ser operados pela marca GOL, sendo os voos internacionais de média duração reservados para a marca VARIG; o programa de milhagem SMILES (8.2 milhões de membros) foi relançado e estendido aos clientes da GOL, que agora podem resgatar milhas para compra de passagens para mais de 560 localidades em todo o mundo e na contratação de serviços e aquisição de produtos de aproximadamente 115 empresas parceiras no Brasil e no exterior. Mais opções foram agregadas ao serviço de bordo. Nas rotas domésticas e internacionais de curta duração, são servidos lanches, snacks e pratos rápidos. Na ponte aérea São Paulo (Congonhas) – Rio de Janeiro (Santos Dumont), o cliente pode saborear o Bistrô da Ponte, com opções de lanches e refeições quentes, de acordo o horário do voo.


No dia 15 de janeiro de 2009, a GOL completou 8 anos de vida com números impressionantes para uma empresa tão jovem: mais de 100 milhões de passageiros transportados desde sua fundação, uma frota superior a 100 aeronaves, mais de 16 mil empregados, 1.600 pilotos e co-pilotos qualificados e contabilizando 37.5 mil horas em simuladores de voo, além de cerca de 240 mil horas de treinamento em rota. Em 2011 a GOL anunciou a aquisição da companhia aérea de tarifas econômicas Webjet por R$ 96 milhões. Se aprovada pelos órgãos reguladores, a GOL irá incorporar 24 aeronaves Boeing 737-300 (148 assentos) e rotas para 16 cidades nacionais. Até á poucos anos atrás a GOL era considerada um dos maiores exemplos de sucesso da aviação. Mas o mercado da aviação muda rapidamente e é cruel com quem toma decisões equivocadas. Em 2011 a empresa enfrentou a pior crise de sua história amargando prejuízos milionários e taxas de ocupação média inferior às do mercado, resultado de estratégias intempestivas (como as aquisições da Varig e Webjet), caos aéreo e concorrência acirrada. Para conter essa sangria de perdas, recuperar a lucratividade e melhorar seu posicionamento no mercado a GOL cancelou a distribuição do “lanchinho” em 250 voos, mudou novamente sua estrutura administrativa e anunciou um enorme plano de reestruturação, que inclui corte de funcionários, redução de rotas e voos, cancelamento de destinos internacionais deficitários.


A empresa trabalha o principal valor da marca: a inovação. O uso da alta tecnologia tem marcado a história da companhia aérea, quebrando paradigmas que resultaram em mais facilidades, praticidade e acesso aos consumidores. Entre as principais conquistas, a empresa revolucionou o transporte aéreo brasileiro ao concentrar suas vendas na Internet, eliminando a emissão do tradicional bilhete. A GOL também introduziu o conceito de check-in inteligente pela Internet, com a impressão do cartão de embarque pelo cliente. Recentemente, a GOL tornou-se a primeira empresa brasileira a viabilizar o processo de check-in inteiramente pelo celular.


A linha do tempo
2002
Lançamento da primeira edição de sua revista de bordo. Atualmente a revista tem uma tiragem superior a 150 mil exemplares.
2003
Início de seu primeiro voo internacional para a cidade de Buenos Aires na Argentina.
2005
Início do serviço com destino à cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra.
Lançamento, em novembro, do Cartão Voe Fácil para estimular a demanda e permitir aos clientes da GOL adquirir passagens pela Internet, sem a necessidade de possuir cartão de crédito, e com a possibilidade de parcelamento em até 36 vezes. Atualmente o Cartão Voe Fácil possui mais de 1.1 milhões de inscritos.
2006
Início do serviço com destino à cidade de Santiago no Chile.
Início do serviço com destino à cidade de Assunção no Paraguai.
Início do serviço com destino à cidade de Montevidéu no Uruguai.
Início do serviço com destino às cidades de Córdoba e Rosário na Argentina.
2007
Início dos voos para a cidade peruana de Lima. No Brasil passou a voar em março, para Marabá (Pará), além de ter iniciado frequências para Cruzeiro do Sul, no Acre. Em dezembro, a companhia iniciou voos para Presidente Prudente, no estado de São Paulo, considerada a “capital do Oeste Paulista”.
Lançamento da versão internacional de sua revista de bordo, que traz matérias de turismo, gastronomia, cultura e diversão, além de dicas de consumo e lazer nas principais cidades dos países atendidas pela companhia.
2008
Início do serviço com destino à cidade de Caracas na Venezuela.
2010
Inauguração, em 4 de abril, de voos regulares para Punta Cana, um dos destinos turísticos mais atraentes do Caribe, na República Dominicana.
2011
Lançamento do GOL NO AR, um sistema de entretenimento a bordo via celular, tablet ou computador que oferece uma grande variedade de vídeos, notícias, jogos, músicas e muito mais.


A frota
Operar com frota única (utilizando apenas aviões de um único modelo e fabricante) é uma estratégia que viabiliza menores custos com combustíveis, manutenção e treinamento de pilotos, além de maior flexibilidade no planejamento das rotas e, consequentemente, melhor produtividade. A GOL tem a mais moderna frota da América Latina e uma das mais jovens do mundo (sem contar a Varig). Sua frota é composta por 138 aeronaves Boeing 737 - Next Generation (com idade média de 5.5 anos) que possuem equipamentos ultramodernos, com motores mais potentes (voam até 12% mais rápido do que o seu concorrente mais próximo), novo design das asas, tecnologia de ponta e capacidade de voar mais alto. Elas apresentam um dos maiores índices mundiais de aproveitamento da aeronave, permanecendo aproximadamente 14 horas em voo. Estas aeronaves foram desenvolvidas para realizar todo tipo de viagem, com rotas longas ou curtas, sendo mais eficientes nos pousos e decolagens. As aeronaves não têm divisão interna de classes, seguindo o conceito low cost, low fare. Desta forma, a economia de escala conquistada pela empresa é repassada para o cliente em forma de preços mais competitivos. Os uniformes da tripulação foram desenhados pelos estilistas Ricardo Almeida e Glória Coelho.


Empenhada em adotar práticas que minimizem o impacto causado ao planeta, a GOL desenvolveu diversos programas que priorizam o uso consciente dos recursos naturais e, consequentemente, reduzem os impactos da empresa no meio ambiente. Um exemplo é o projeto Passando Limpo que utiliza um método inteligente de lavagem das aeronaves, feita a seco em que a GOL gasta atualmente apenas 10% do que costumava utilizar de água para lavar uma aeronave.


O transporte de carga
A GOL foi mais uma vez inovadora e pioneira ao incluir em seu modelo de negócios o transporte de cargas. A companhia aérea alterou o DNA convencional do sistema de cargas, deixando de operar no conceito “peso x distância” para utilizar o conceito de “tempo x conveniência”. Neste contexto surgiu, em 30 de janeiro de 2001, a GOLLOG, serviço de cargas aéreas, que segue os princípios de pontualidade, inovação, frequência, custo e tarifas reduzidas e que vem conquistando o mercado de transporte de cargas e encomendas. Utilizando os porões da frota GOL, vem ganhando mercado desde o seu lançamento, representando hoje mais de 3% do faturamento total da companhia aérea.


Nos últimos anos o serviço cresceu e ampliou suas operações no Brasil e no exterior (o primeiro foi para Buenos Aires em 2005), lançando no mercado novos produtos como o serviço pré-pago. Além de aperfeiçoar o espaço e o transporte, o manuseio das cargas não interfere na produtividade das aeronaves no solo. Atualmente a empresa conta com 75 unidades, localizadas em 67 cidades no Brasil. Na América Latina, atualmente são oito bases, que incluem Buenos Aires (Argentina), Assunção (Paraguai), Santa Cruz de la Serra (Bolívia), Montevidéu (Uruguai), Bogotá (Colômbia) e Caracas (Venezuela). Além disso, a GOLLOG conta com uma frota de veículos que conectados com a malha aérea existente, possibilita a captação e distribuição de cargas e encomendas em uma ampla área do território nacional, atendendo atualmente 3.400 municípios brasileiros.


Acidente com o voo 1907
Em 29 de setembro de 2006, exatamente às 16:48h, um Boeing 737-800 SFP (Short Field Performance) da companhia, prefixo PR-GTD, com 154 pessoas a bordo (sendo 6 tripulantes e 148 passageiros) e apenas 234 horas de voo, desapareceu do radar do Controle de Tráfego Aéreo enquanto cumpria o trecho Manaus–Brasília do voo GLO1907, cuja rota era Manaus – Brasília – Rio de Janeiro. As primeiras informações, apuradas na noite do dia 29, indicavam queda decorrente do choque da aeronave com um avião Embraer Legacy que fazia seu voo de entrega a um cliente americano. O Legacy avariado conseguiu fazer um pouso de emergência em um campo de provas da Força Aérea Brasileira, localizado na Serra do Cachimbo, em Novo Progresso no Pará. Aproximadamente às 09:00h do dia 30 de setembro, os destroços do 737-800 foram encontrados 200 km a sudoeste de Peixoto de Azevedo, Mato Grosso, em uma região de selva densa e de difícil acesso. O então Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva decretou luto oficial de três dias, devido ao mais grave acidente, até então, da história da aviação civil do Brasil e o primeiro com vítimas envolvendo o modelo -800, o mais moderno da linha Boeing 737. A sólida posição no mercado e o forte reconhecimento da marca GOL permitiram que a confiança na empresa não fosse destruída devido ao acidente aéreo. Uma pesquisa de opinião realizada em 2006 indicou que nove entre dez passageiros transportados confiavam na GOL e a recomendariam para outras pessoas.


Campanhas que fizeram história
A GOL sempre possui uma linha de comunicação forte, ousada e muito inteligente. A linha de marketing adotada pela empresa sempre foi a da democratização. Ou seja, quando chegou ao setor aéreo brasileiro com o slogan “Aqui todo mundo pode voar”, fez com que milhares de pessoas que não imaginavam utilizar o avião como meio de transporte o usassem pela primeira vez. A primeira campanha institucional marcante da GOL, criada pela agência AlmapBBDO em 2005, tinha como protagonista um legítimo pássaro Taeniopygia gutta, conhecido popularmente como mandarim. O filme começava com o embarque do inusitado “ator” num ônibus intermunicipal. Após um longo percurso, o animal já se mostrava cansado. Ao chegar ao seu destino, o bichinho descia a escada cambaleante devido ao desgaste provocado pela longa viagem. Nesta cena, o locutor em off pergunta: ”Para que viajar de outro jeito, se você pode voar?”. Corta para um avião da GOL no ar e a locução “Gol. Aqui todo mundo pode voar”. A produção do filme foi cercada de cuidados especiais. Apesar da estrela do comercial ser apenas um pássaro foram utilizadas oito aves da mesma espécie para gravar as cenas. Além disso, até um “camarim gaiola” foi montado especialmente para os exigentes “artistas”, e o set de filmagem foi cercado por painéis para que eles ficassem isolados da equipe. Clique no ícone abaixo para assistir ao comercial.

 

Em 2008, a empresa lançou outra fantástica campanha publicitária, denominada “Aqui todo mundo pode voar”, que tinha como principais estrelas simpáticas borboletas, laranjas é claro. De maneira lúdica, a campanha utilizou imagens da lagarta e de sua transformação em borboleta para mostrar como é fácil voar com a GOL. Uma campanha emotiva, forte e conceitual.


A campanha era composta por filmes, anúncios para mídia impressa, vinhetas, material de ponto de venda, peças para Internet e eletromídia. No filme, as lagartas estão presas no congestionamento dentro de carros e ônibus, quando uma delas descobre que pode voar e vira borboleta, deixando a situação anterior para trás. A ideia não é estereotipar a lagarta, mas mostrar que a vida pode ser melhor. A campanha trazia a assinatura: “Chega um dia em que todo mundo descobre como é fácil voar”. Clique na imagem abaixo para assistir ao filme.

 

Até um dos Boeing 737-800 da companhia aérea recebeu um adesivo com as simpáticas borboletas da campanha de marketing.


Os slogans
Sempre dá pra ir mais longe. (2010)
Aqui todo mundo pode voar. (2005)


Dados corporativos
● Origem: Brasil
● Fundação: 15 de janeiro de 2001 (primeiro voo)
● Fundador: Constantino de Oliveira Júnior
● Sede mundial: São Paulo, Brasil
● Proprietário da marca: Gol Linhas Aéreas Inteligentes S.A.
● Capital aberto: Sim (2004)
● Presidente do conselho: Constantino de Oliveira Júnior
● CEO: Paulo Sérgio Kakinoff
● Faturamento: R$ 7.53 bilhões (2011)
● Lucro: - R$ 751.5 milhões (2011)
● Valor de mercado: R$ 1.5 bilhões (setembro/2011)
● Frota: 138 aviões
● Destinos: + 75
● Passageiros transportados: 35.000.000 (2011)
● Programa de milhagem: Smiles (8.2 milhões de membros)
● Presença global: 14 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 18.000
● Segmento: Aviação
● Principais produtos: Aviação comercial e cargueira
● Concorrentes diretos: TAM, Avianca e Azul
● Subsidiárias: Varig, WebJet Linhas Aéreas e Gollog
● Slogan: Sempre dá pra ir mais longe.
● Website: www.voegol.com.br

A marca no mundo
Com aproximadamente 18 mil funcionários, a GOL, segunda maior companhia aérea do Brasil, opera aproximadamente 850 voos diários para 63 destinos que conectam todas as mais importantes cidades brasileiras e 13 principais mercados internacionais da América do Sul e Caribe como Buenos Aires, Bogotá, Santiago, Lima, Assunção, Punta Cana, entre outros. Atualmente a GOL possui 35% de participação no mercado doméstico e aproximadamente 18.5% de participação no mercado internacional. Em 2011 a empresa transportou 35 milhões de passageiros. Atualmente, 35% dos passageiros da companhia aérea realizam check-in eletrônico.

Você sabia?
Os voos noturnos da GOL, com tarifas bastante reduzidas, mostraram-se muito bem-sucedidos, proporcionando taxas de ocupação maiores que de outros voos.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Época Negócios, Exame e Veja), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas).

Última atualização em 11/9/2012

4 comentários:

Anônimo disse...

Mole, Mole ! É só ter o sinheiro que o Constantino tinha que quaçquer um saberia contratar as pessoas certas para copiar um modelo de empresa já criado anteriormente. Ele tem mérito, tem sim, era milionário e foi pioneiro no Brasil !

Anônimo disse...

pagando esse salario que ele paga pra gente! Ate eu!!!

Anônimo disse...

Sinceramente? no aeroporto vc tem opção de lacrar a bolsa aquele esquema que eles colocam plastico na bolsa toda...ja pensou nisso?

tatiana disse...

Poxa Antonio vc deve ter viajado uma unica vez na sua vida né? pq estraviar bagagem acontece com todas as empresas, com certeza a Gol não tem interesse nos seus
R$25,00, pois como vc mesmo falou o Constantino é um cara milionario.
Parabens a Gol, yes LOW COST