10.5.06

HP


Cálculos exatos e sem erros. Impressões perfeitas e com alta qualidade. Eficiência no armazenamento de informações. Rapidez na comunicação. Fotografias digitais precisas e com alta definição. Computadores de todos os tipos e tamanhos. Tecnologias que facilitam o dia a dia. Tudo isso pode ser encontrado nos produtos da HP, uma empresa praticamente onipresente em nossas vidas. 

A história 
Tudo começou em 1938 quando os jovens engenheiros eletrônicos Bill Hewlett e Dave Packard, dois estudantes da tradicional universidade de Stanford, que se tornaram amigos em um acampamento de duas semanas no estado do Colorado em 1934, investiram exatos US$ 538 para montar em uma acanhada garagem, localizada em um tranquilo bairro residencial da cidade de Palo Alto, estado da Califórnia, seu primeiro produto: um oscilador de áudio de baixa frequência, batizado de HP 200A, instrumento auditivo muito usado por engenheiros de som para testar equipamentos sonoros. Esse produto representou uma ruptura da tecnologia em tamanho, preço e desempenho. Um de seus primeiros clientes foi ninguém menos que a Walt Disney Studios, que adquiriu nove destes osciladores para desenvolver e testar o som para o filme de animação “Fantasia”. Como resultado deste primeiro pedido, ambos resolveram, no dia 1 de janeiro de 1939, fundar a HEWLETT-PACKARD COMPANY. O nome da nova empresa foi decidido em uma simples moeda, com o sobrenome de Hewlett vindo à frente. O novo oscilador batizado de Modelo 200 A, “porque o número parecia impressionar”, imediatamente começou a fazer sucesso. Foi seguido por um analisador harmônico de onda e depois de um gerador de onda quadrada.


Em 1940 a empresa já havia alugado parte de um pequeno prédio na Page Mill Road, também na cidade de Palo Alto. Ao final do ano, vários instrumentos haviam aumentado a linha de produtos da empresa, uma pequena equipe de produção havia sido contratada e a Hewlett-Packard estava caminhando a passos largos. Em 1942 a empresa iniciou a construção da primeira sede própria. Um dado curioso é que a HP planejou o prédio de forma que pudesse se transformar em uma mercearia caso a empresa fracassasse. Não demorou a estabelecer uma política de portas abertas (Open Door Policy) para todos os funcionários, assegurando que cada um, independente do cargo que ocupasse, percebesse que os gerentes estavam disponíveis, abertos e receptivos, gerando a confiança e a compreensão mútua que caracterizam o estilo de administração da HP nos dias atuais. Ambientes abertos e escritórios executivos sem portas constituíam a política integral para o ambiente de trabalho da empresa na época. Pouco depois, em 1943, a empresa estava profundamente envolvida com a produção de guerra e seus 100 funcionários geravam, anualmente, instrumentos no valor de US$ 1 milhão. Por volta de 1945, David Packard assumiu a administração do grupo, com Bill Hewlett supervisionando as pesquisas. A partir da década de 1950 seus contadores de frequência, que reduziam drasticamente o tempo necessário para a medição precisa de frequências elevadas, e produtos relacionados, já faturavam bilhões de dólares impulsionando a empresa rumo ao sucesso.


Em 1947, no período pós Segunda Guerra Mundial, o catálogo da HP já possuía 39 produtos, em sua maioria, geradores e alguns modelos desenvolvidos no campo de micro-ondas. Em 1953, o volume de vendas havia chegado a US$ 1 milhão por mês e a HP havia assumido uma posição de liderança no segmento de instrumentos de medição eletrônica. Em 1958 adquiriu sua primeira empresa, a californiana F.L. Moseley, produtora de plotters, ingressando assim no mercado de impressão. Nesse mesmo ano criou a estrutura de divisões, com contabilidade independente de lucros e prejuízos, onde cada grupo de produto se tornou uma organização autossustentável, responsável pelo desenvolvimento, produção e marketing de seus próprios produtos. Além disso, para continuar ágil, qualquer grupo que crescesse até 1.500 pessoas era dividido e transformado em um novo centro de resultados. A autonomia favorecia a motivação individual, a iniciativa e a criatividade, e oferecia aos funcionários a oportunidade de trabalhar com um alto grau de liberdade na realização de metas e objetivos comuns. No ano seguinte, visando uma expansão internacional, estabeleceu na Europa um departamento de vendas na Suíça, localizado na cidade de Genebra, e uma fábrica na Alemanha, em Boeblingen. Ingressou no mercado asiático somente em 1963 quando fez uma joint-venture com a empresa japonesa Yokogawa Electric.


No início da década de 1960, a HP deu continuidade ao seu crescimento e ingressou no segmento da eletrônica médica e instrumentação analítica, passando a focar-se também nas áreas de semicondutores, eletroluminescência e fotocondutividade. Foi neste perídio que a HP desembarcou no mercado brasileiro. Em meados desta década, também desenvolveu seu primeiro computador, destinado inicialmente para necessidades internas da empresa. Em 1966 o laboratório HP foi estabelecido como o recurso central de pesquisa da empresa e iniciou uma longa história como um dos principais centros de pesquisa comercial do mundo. A partir deste momento a empresa, nas nos anos seguintes, fez inúmeros lançamentos de produtos inovadores que incluíam calculadoras financeiras e científicas, computadores e microcomputadores, impressoras, entre outros dispositivos. Internacionalmente, iniciou a comercialização de seus produtos na China abrindo um escritório de representação em Pequim (1981) e implantou no Reino Unido um sistema de correio eletrônico de larga escala (1982). Em 1989 comemorou seu 50º aniversário. A garagem, localizada exatamente no número 367 da Addison Avenue, onde Bill Hewlett e Dave Packard iniciaram seus negócios foi designada local histórico do estado da Califórnia em reconhecimento à seu rica história e aos avanços tecnológicos que seus produtos proporcionaram ao mundo.


Na década seguinte a empresa se impôs no segmento de servidores e continuou a oferecer avanços em tecnologias de medidas, computação portátil, comunicação, impressão e imagens através de lançamentos importantes, como por exemplo, a primeira impressora “colorida” de baixo custo; sistema de ecocardiografia, que permitia aos médicos executarem exames cardíacos “não invasivos” em tempo real através de ondas de ultrassom; o primeiro palmtop da marca, com transmissor infravermelho embutido; seu primeiro PDA (assistente digital pessoal), que trazia o Windows CE como seu sistema operacional; e seu primeiro PDA com tela colorida. A empresa comprou a concorrente Compaq, fundada em 1982, por impressionantes US$ 19 bilhões em 2002, tornando-se ao lado da Dell e da IBM, uma das maiores e mais importantes empresas de computadores pessoais do planeta na época. Com esta aquisição, a HP também passou a ser proprietária da linha de computadores Compaq Presário, lançada em 1993, e uma das líderes de mercado em sua categoria. Porém a compra, ou fusão como muitos consideraram na época, resultou em desastre. A prometida sinergia entre HP e Compaq não compensou os bilhões de dólares gastos e a então CEO Carly Fiorina, eleita pela tradicional revista Fortune a executiva mais poderosa do mundo, foi demitida anos mais tarde.


Nesta época, a HP concentrou seus esforços na simplificação da tecnologia para todos os seus clientes, de consumidores individuais às grandes empresas, mantendo pesquisas e experiências nas áreas de impressão, computação pessoal e infraestrutura. Os resultados desses investimentos são produtos tecnologicamente avançados como impressoras fotográficas para impressões coloridas resistentes à água; sexta geração de impressoras “jato de tinta” com resolução de 4800 dpi; e até televisores de plasma. Estendendo sua estratégia de estabelecer-se em países com economias crescentes, a HP inaugurou laboratórios de pesquisa em Bangalore, Índia; Pequim, China; e St. Petersburgo, Rússia.


Em 2007 a HP se tornou a primeira empresa de TI (Tecnologia da Informação) a superar US$ 100 bilhões em faturamento anual. Nos anos mais recentes a HP fez importantes e cirúrgicas aquisições: em 2008 comprou por US$ 13.9 bilhões a EDS, uma das maiores empresas de serviços em tecnologia da informação, e agregou em sua carteira os 200 maiores clientes de outsourcing no mundo; em abril de 2010, adquiriu por US$ 1.2 bilhões a Palm, pioneira no mercado de dispositivos móveis, com os PDAs; e pouco depois, a 3Com, adquirida por US$ 2.7 bilhões, expandindo assim as ofertas de switching Ethernet, acrescentando soluções de roteamento e fortalecendo significativamente a posição da empresa na China. O ano de 2010 também foi marcado por um enorme escândalo: o CEO Mark Hurd, que tinha a fama de ser um cara durão, foi demitido em meio a acusações de assédio sexual no começo do mês de agosto. Ele saiu pelas portas do fundo, com a reputação abalada, apesar do bom desempenho à frente da empresa nos últimos cinco anos.


Atualmente, amargando uma queda acentuada em seu faturamento nos últimos anos, especialmente devido à queda na venda de computadores, e estrondosos fracassos, como a tentava de ingressar nos segmentos de TVs e smartphones, a HP iniciou uma nova fase para sobreviver. Essa nova estratégia é bastante clara: o foco da empresa é infraestrutura. Resumindo: o futuro da HP é o poder do software, hardware e serviços entregues como soluções. E para colocar em prática esta nova estratégia foi anunciado que a HP será dividida em duas empresas até o final de 2015: a Hewlett-Packard Enterprise, que cuidará de todas as soluções (softwares e serviços) com foco no mercado corporativo, e a HP Inc., com foco em computadores pessoais, tablets, impressoras e acessórios (como por exemplo, fones de ouvido e roteadores). A divisão focada em impressoras e dispositivos para o consumidor manterá o nome e o logotipo atuais da empresa.


A linha do tempo 
1966 
Lançamento do seu primeiro computador, o HP 2116A, com 4 kb de memória de núcleo magnéticos, expansível a 32 kb. O primeiro exemplar foi instalado a bordo de uma embarcação de pesquisa do Instituto Americano de Oceanografia, durando mais de 10 anos em um ambiente de clima hostil. 
Lançamento do primeiro osciloscópio. 
1968 
Lançamento da primeira calculadora científica de mesa, HP 9100A, que permitia armazenar programas em cartões magnéticos e efetuar complexos cálculos científicos sem a necessidade de acessar computadores maiores. Era 10 vezes mais rápida que a maioria das máquinas da época. Anúncios da 9100A chamavam o dispositivo de “computador pessoal”, um dos primeiros usos documentados do termo. 
1972 
Lançamento da primeira calculadora de mão chamada HP-35, que era tão pequena a ponto de caber num bolso de camisa; e do primeiro computador de uso geral, HP 3000, introduzindo a era de processamento de dados distribuído, uma vez que servia tanto à engenharia de alta tecnologia como as operações cotidianas de processamento de dados administrativos. 
1974 
Substituição da memória de núcleo magnético pela memória dinâmica de acesso aleatório nos minicomputadores. 
1975 
Criação de uma interface padrão (HP-IB ou interface bus) para sistemas de instrumentos, que é reconhecido como um padrão internacional, permitindo conectar um ou mais instrumentos de forma fácil a um computador. 
1977 
Lançamento de seu primeiro minicomputador portátil. 
1980 
Lançamento de seu primeiro computador pessoal, chamado HP-85, e da primeira impressora a laser. 
1983 
Lançamento do primeiro computador touchscreen (com tela sensível ao toque). 
1984 
Lançamento da impressora HP ThinkJet de 96 dpi, com tecnologia térmica de jato de tinta para computadores pessoais de mesa e portáteis que estava em desenvolvimento desde 1978. 
Lançamento de uma impressora laser de 300 dpi que revolucionou o mercado. A impressora a laser de mesa para uso pessoal se tornou a mais popular do mundo e o produto da HP de maior sucesso já introduzido no mercado. Até 2013, a impressora vendeu mais de 200 milhões de unidades. 
1986 
Lançamento do HP Precision Archtecture, uma grande família de sistemas de computadores que utilizava a primeira aplicação comercial da arquitetura RISC (Reduced Instruction-set Computing ou computação com conjunto reduzido de instruções) em todo o mundo. 
1988 
Lançamento da HP DeskJet, primeira impressora a jato de tinta da HP voltada para o mercado de massa, oferecendo impressão em papel comum e uma resolução com padrão industrial. 
1991 
Lançamento de seu primeiro palmtop, chamado HP 95LX, que pesava apenas 300 gramas e nada mais era que a junção de uma potente calculadora financeira com processamento de um PC, agenda eletrônica, planilha Lotus 1-2-3, processador de textos, permitindo assim transferência de dados por raios infravermelhos. 
Introdução da HP DeskJet 500C que permitia impressão colorida. 
1993 
Lançamento do HP OMNIBOOK 300, um laptop com bateria capaz de durar o tempo de um voo através dos Estados Unidos. 
1994 
Início em conjunto com a Intel do desenvolvimento de um processador de 64 bits, hoje chamado de Itanium, lançado oficialmente em 2001. 
Lançamento do computador pessoal HP PAVILION, que marcou a entrada bem-sucedida da empresa no promissor mercado de computação doméstica. 
1998 
Lançamento de um palmtop com interface gráfica rodando Windows CE. 
Introdução da série HP OfficeJet 700, primeiro produto multifuncional em cores da HP. Essa impressora/fax/copiadora oferecia ao cliente as funções essenciais de escritório em um único produto fácil de usar. 
Lançamento da câmera digital HP PHOTOSMART C20, que possuía definição de 1 mega pixels. 
2000 
Lançamento do servidor especializado para internet SUPERDOME
2002 
Lançamento da impressora HP DeskJet 5550 com tecnologia de 4800 dpi. 
2003 
Lançamento do HP DVD MOVIE WRITER dc3000, aparelho que transformava VHS em DVD. 
2004 
Lançamento de sua linha de televisões de plasma e LCD. 
2008 
Lançamento do HP TOUCHSMART, um computador com design que integra tela de 22 polegadas de alta resolução, processador Intel, alto-falantes e gravador DVD, e possui interface muito semelhante à de um iPhone, permitindo assim a utilização de aplicativos sem a necessidade do teclado ou mouse. 
2010 
Lançamento do HP SLATE 500, que marcou o ingresso da empresa no segmento de tablets. 
2011 
Apresentação do HP TouchPad, um novo modelo de tablet que conta com rápido acesso a e-mails e dispõe de aplicativos para adquirir e ler livros digitais. 
Lançamento de dois novos smartphones: VEER (do tamanho de um cartão de crédito) e o PRE3, equipados com o sistema webOS, GPS incorporado e câmeras de 5 megapixels. 
Lançamento de um novo mouse sem fio, o HP Wi-Fi Mobile Mouse, que inova ao dispensar também o uso de Bluetooth, conectando-se ao computador por meio de Wi-Fi. Isso significa que o aparelho pode se conectar à rede sem fio já existente na casa do usuário, evitando a compra de um receptor. 
Lançamento da HP TopShot, uma impressora com scanner 3D. A impressora tem uma câmera embutida em um braço articulado acima do scanner, conexão Wi-Fi e permite que o usuário imprima documentos por meio de aplicativos. O escaneamento é capaz de capturar seis imagens independentes de um documento ou objeto 3D e produzir uma única imagem. 
2012 
Lançamento do ULTRABOOK HP FOLIO, com apenas 18 mm de espessura, peso de 1.499 kg, bateria de até 9.5 horas de autonomia e com design elegante sem abrir mão da resistência, com seu chassi metálico que garante proteção contra a maior parte dos impactos. 
2013 
Lançamento da sua nova linha de servidores MOONSHOT. Os novos servidores consomem 89% menos energia do que os sistemas tradicionais. Ele também ocupa 80% menos espaço do que os seus concorrentes e custa 77% menos. Esses servidores de baixo consumo compartilham gerenciamento, alimentação, refrigeração, rede e armazenamento. Essa arquitetura é a chave para conseguir 8x de eficiência em escala e habilitar um ciclo de inovação 3 vezes mais rápido. 
2014 
Lançamento do HP STREAM 7, um tablet equipado com Windows 8.1, tela de sete polegadas e um preço de apenas US$ 99, o mais barato do mundo. 
Anuncia o lançamento de sua primeira impressora 3D.


Os números de um gigante 
Atualmente a HP é uma das mais poderosas e influentes corporações do planeta. É praticamente difícil, ou se não impossível, imaginar o funcionamento de muitas empresas sem os produtos da HP. Os números comprovam o tamanho deste gigante: 
● 12.4 milhões de computadores pessoais vendidos anualmente. 
● Mais de 46 milhões de impressoras vendidas anualmente. 
● Mais de 3 milhões de tablets vendidos anualmente. 
● 2 bilhões de mensagens spam verificadas por softwares HP todos os meses. 
● 13.5 bilhões de transações de cartões de créditos efetuadas todos os anos. 
● 550 milhões de reservas de viagens anualmente. 
● 109 companhias aéreas servidas. 
● Gerencia mais de 250 data centers, 400 servidores e 18 milhões de endereços de IP. 
● Possibilita ligações para mais de 350 milhões de celulares anualmente. 
● Mais de 400 patentes registradas por ano (ao todo são 38.000 patentes em sua história). 
● Líder mundial em impressoras (jato de tinta e laser).


O famoso laboratório 
Fundado na cidade de Palo Alto em 1966, há poucas milhas da garagem onde começou a história da empresa e da tradicional universidade de Stanford, o HP LABS (abreviação de HP Laboratories) tinha como missão original se focar no futuro e não nas preocupações do dia a dia, conduzindo a tecnologia para comercialização nas áreas mais importantes para a sociedade. Mais recentemente, em meados de 2008, após meses de planejamento estratégico e uma grande reestruturação, o laboratório de pesquisa foi transformando em uma organização audaciosa e pioneira, voltada às grandes ideias. O objetivo: atacar os mais complexos problemas da indústria tecnológica e ultrapassar as fronteiras da ciência elementar. Atuando como “sistema nervoso central” da empresa, o HP LABS realiza pesquisas de alto impacto, capaz de transformar suas tecnologias em negócios de sucesso, colaborando com universidades, empresários, clientes, entre outros, para amplificar o trabalho de seus 600 pesquisadores em soluções que transformam os dados em valor, os bytes em experiências e o ruído em conhecimento. Hoje em dia atua em diferentes áreas de pesquisas e desenvolvimento, como por exemplo, computação em nuvem, sistemas convergentes, segurança, mobilidade, impressão e distribuição de conteúdo. Além da Califórnia, o HP LABS conta com laboratórios em Bristol, Reino Unido (1984); Haifa, Israel (1994); e unidades regionais como em Beijing, China (2005); St. Petersburgo, Rússia (2007); Princeton, New Jersey; Barcelona, Espanha; e Cingapura (2010).


Lojas conceitos 
O plano de estreitar a experiência e o contato da HP com o consumidor no ponto de venda foi colocado em prática no mundo em 2002 com a inauguração das chamadas “Store in Store”, nada mais do que espaços bem planejados e dedicados à exposição e demonstração dos produtos da marca em pontos de vendas selecionados. Além do atendimento especializado, realizado por promotores treinados pela empresa, os espaços permitem ao consumidor experimentar os produtos da HP, que são apresentados de forma organizada e agrupada em móveis padronizados que permitem facilmente a localização da marca. Esse serviço já existe em mais de 80 lojas do varejo no Brasil.


Mas, no final de 2008, a empresa americana trouxe ao país suas primeiras HP STORES. Nessas lojas-conceitos, que permite ao consumidor explorar ao máximo as tecnologias que a empresa possui, são oferecidos produtos da HP para o usuário final e para pequenas e médias empresas, bem como produtos de parceiros como a Microsoft. Dentre os destaques estão notebooks e desktops de consumo com foco em entretenimento; notebooks e desktops corporativos, com atributos especiais de segurança, acessórios, impressoras e multifuncionais. As lojas brasileiras adotaram a imagem visual de outros projetos da HP na América Latina. Atualmente a empresa conta com aproximadamente 100 HP STORES. Junto à inauguração das lojas, a HP também expandiu seu programa de soluções corporativas, que abrange assistência técnica e financiamento de produtos e serviços para empresas, além de investir em estrutura de suporte às suas revendas regionais.


HP Discover 
Desde 2011 a empresa realiza nos Estados Unidos (Las Vegas) e na Europa (Barcelona) o HP DISCOVER, um evento para clientes e parceiros que apresenta o que há de mais recente em tecnologia, assim como as tendências para os próximos anos, que ajudam a endereçar os principais desafios em TI enfrentados pelas organizações. Através de palestrantes exclusivos, sessões de grupos com diversos assuntos e eventos especiais para networking, os participantes tem acesso a informações teóricas e práticas para se prepararem para o futuro da tecnologia da informação. É possível experimentar todo o portfólio de produtos, soluções e serviços da HP ao mesmo tempo, em um único local, obtendo experiência prática com a tecnologia e conversando com especialistas renomados.


Um marco histórico 
Situada na cidade de Palo Alto, em um bairro residencial, com muitas árvores e bem próximo do campus da Universidade de Stanford, a famosa garagem onde surgiu a HP está localizada na casa de número 367, na Addison Avenue. Foi exatamente nesta garagem que Bill Hewlett e Dave Packard começaram a usar o espaço para criar seu primeiro produto: um oscilador de áudio. Em 1989 a casa onde a garagem se situa foi oficialmente reconhecida pelo Governo do Estado da Califórnia como “Local de Nascimento do Vale do Silício”. Em 2000, a HP recomprou a propriedade e a restaurou, concluindo sua reforma cinco anos depois, a fim de aproximá-la ao máximo da época de sua fundação, uma exigência do governo para finalmente reconhecer o local como Marco Histórico Nacional. Desde então se tornou um local de peregrinação para os apaixonados por tecnologia. Por se localizar em um bairro residencial, a visitação não é aberta ao público e fica reservada apenas a ocasiões especiais. A foto abaixo mostra a casa com a pequena garagem (localizada a esquerda, com portão verde).


Campanhas que fizeram história 
A mais complexa campanha publicitária da história da empresa foi introduzida e idealizada pessoalmente pela então presidente da HP, Carly Fiona, em 1999, e lançada com o slogan “INVENT”. A milionária campanha contou ainda com uma reformulação visual radical da marca com a adoção das letras HP, em substituição a palavra Hewlett-Packard no logotipo.


Outra campanha de grande sucesso, que custou US$ 300 milhões, foi introduzida no final de 2003 com o tema “You + HP: digital photography”, destacando o alinhamento completo da HP em fotografia digital, de câmaras e impressoras a computadores pessoais, tinta e papel. O que mais chamava a atenção nos comerciais de televisão eram as músicas utilizadas. Em uma combinação futurista de imagem e música era possível ouvir canções como “Picture Book” (The Kinks), “Out of the Picture” (The Robins), “Pictures of You” (The Cure), “The Rainbow” (The Apples in Stereo), e “Across the Universe” (The Beatles). Outra ação da campanha foi o concurso de fotografia digital intitulado “YOU Take Five!”. Para participar do concurso bastava enviar pela internet cinco fotos digitais que contassem uma história. Os ganhadores seriam contemplados com uma sessão de fotos no set de filmagens do terceiro filme independente do Project Greenlight, da produtora Miramax; um papel de figurante no filme; ou mesmo ter seu ensaio fotográfico incluído em um anúncio publicitário da HP.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por inúmeras e acentuadas modificações ao longo dos anos. Até 1974 o logotipo era representado pela sigla HP dentro de um círculo, com as terminações das letras H (acima) e P (abaixo) saindo da circunferência. Neste momento a marca adotou o nome por escrito da empresa como logotipo. Em 1981, ocorreu uma mudança radical. As tradicionais iniciais HP continuaram dentro do círculo, que por sua vez foi inserido dentro de um retângulo azul com o nome Hewlett Packard do lado direito, que seria eliminado em 2000.


No final de 2008, a HP resolveu abandonar o visual “chapado” do seu logotipo e aderir ao visual mais “moderninho”. Completamente diferente, adotando o formato redondo e com efeitos 3D, o logotipo começou a ser introduzido e apresentado aos poucos em todos os países onde a marca estava presente. Pouco depois, esse logotipo retornou ao visual 2D. Em 2012, uma nova modificação: o visual chapado foi mantido, mas um azul mais claro foi adotado.


Os slogans 
Make it Matter. (2012) 
Let’s do amazing. (2010) 
The computer is personal again. (2006) 
You + HP: digital photography. (2004) 
Everything is possible. (2003) 
Invent. (1999) 
Finalmente, o computador ficou pessoal. (2006, Brasil e Portugal)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 1 de janeiro de 1939 
● Fundador: Bill Hewlett e Dave Packard 
● Sede mundial: Palo Alto, Califórnia, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Hewlett-Packard Company 
● Capital aberto: Sim (1957) 
● Chairman & CEO: Margaret C. Whitman 
● Faturamento: US$ 112.3 bilhões (2013) 
● Lucro: US$ 5.11 bilhões (2013) 
● Valor de mercado: US$ 60.4 bilhões (outubro/2014) 
● Valor da marca: US$ 23.758 bilhões (2014) 
● Lojas: 100 
● Presença global: 170 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 317.500 
● Segmento: Tecnologia da informação e eletrônicos 
● Principais produtos: Impressoras, laptops, computadores, tablets, servidores, storages e redes 
● Concorrentes diretos: IBM, OracleEMC², Cisco, Accenture, SAPApple, Dell, Lenovo, Epson e Xerox 
● Ícones: A calculodora científica 
● Slogan: Make it Matter. 
● Website: www.hp.com.br 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca HP está avaliada em US$ 23.758 bilhões, ocupando a posição de número 17 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 17 no ranking da revista FORTUNE 500 de 2014 (empresas de maior faturamento no mercado americano). 

A marca no mundo 
Hoje em dia a HP, maior empresa de tecnologia do mundo, está presente em mais de 170 países, emprega mais de 317 mil pessoas, serve mais de um bilhão de clientes e faturou US$ 112.3 bilhões em 2013. Hoje a empresa pode ser considerada uma das principais fornecedoras mundiais de impressoras inkjet, laser monocromáticas e coloridas, multifuncionais e de função única; scanners e servidores de impressão. Também tem bastante destaque em sistemas completos de armazenamento em disco e OpenSANs (Storage Area Networks), software de gerenciamento de redes e sistemas, computadores pessoais e laptops. Além disso, possui mais de 100 lojas próprias nas Américas. A dependência do resultado de subsidiárias tem se tornado cada vez mais importante. Em 2013, aproximadamente 64% de sua receita global veio de unidades fora dos Estados Unidos. Somente o Brasil apresenta números expressivos: está presente em mais de 27 mil pontos de venda no país, possui quatro fábricas, além de ter mais de sete milhões de clientes. 

Você sabia? 
Em 1974, um jovem engenheiro da HP, Stephen Wozniak, concebeu um protótipo de computador pessoal, que não recebeu atenção da empresa. Então, Wozniak resolveu se juntar à um tal de Steve Jobs para criar a Apple. 
A HP investe mais de US$ 3 bilhões anualmente em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. 
No dia 3 de março de 1986, a empresa registrou o domínio HP.com, tornando-o nono domínio “.com” registrado na história da internet. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Época Negócios e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 14/10/2014

Um comentário:

Daniel Campos disse...

Muito bom esse post.
Me ajudou no trabalho da faculdade. Pode ficar tranquilo que o link de vcs estará lá!

O blog é excelente. Ja salvei no meu google reader!!!

Sempre estarei por aqui!!

grande abraço e sucesso
fiquem com Deus

Daniel